Portuguese
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Fampyra (fampridine) – Resumo das características do medicamento - N07XX07

Updated on site: 06-Oct-2017

Nome do medicamentoFampyra
Código ATCN07XX07
Substânciafampridine
FabricanteBiogen Idec Ltd  

1.NOME DO MEDICAMENTO

Fampyra 10 mg comprimidos de libertação prolongada

2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada comprimido de libertação prolongada contém 10 mg de fampridina.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.FORMA FARMACÊUTICA

Comprimido de libertação prolongada.

Comprimido revestido por película, esbranquiçado, oval, biconvexo, com 13 x 8 mm, de arestas planas, gravado com A10 numa das faces.

4.INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1Indicações terapêuticas

Fampyra é indicado para a melhoria da marcha em doentes adultos com esclerose múltipla, com disfunções da marcha (EDSS 4-7).

4.2Posologia e modo de administração

O tratamento com Fampyra é restrito a prescrição e supervisão por médicos experientes no tratamento de esclerose múltipla (EM).

Posologia

A posologia recomendada é um comprimido de 10 mg, duas vezes ao dia, em intervalos de 12 horas (um comprimido de manhã e um comprimido à noite). Fampyra não deve ser administrado mais frequentemente ou em doses superiores às recomendadas (ver secção 4.4). Os comprimidos devem ser tomados sem alimentos (ver secção 5.2).

Iniciar e Avaliar o Tratamento com Fampyra

A prescrição inicial deve limitar-se a duas a quatro semanas de terapêutica, uma vez que os benefícios clínicos devem ser habitualmente identificados no período de duas a quatro semanas após o início de Fampyra.

Recomenda-se uma avaliação da capacidade de marcha, por exemplo, a Marcha Cronometrada de 25 Pés (Timed 25 Foot Walk - T25FW) ou a Escala de Marcha da Esclerose Múltipla de Doze Itens (Twelve Item Multiple Sclerosis Walking Scale - MSWS-12) para avaliar a melhoria no período de duas a quatro semanas. Se nenhuma melhoria for observada, deve suspender-se Fampyra.

Fampyra deve ser descontinuado se os doentes não notificaram benefícios.

Reavaliação do tratamento com Fampyra

Caso se verifique um declínio na velocidade da marcha, o médico deve considerar uma interrupção do tratamento para reavaliar os benefícios de Fampyra (ver acima). A reavaliação deve incluir a descontinuação de Fampyra e a realização de uma avaliação da capacidade de marcha. Fampyra deve ser descontinuado se os doentes deixarem de apresentar benefícios na marcha.

Dose em falta

Deve ser sempre seguido o regime posológico habitual. Não deve ser tomada uma dose a dobrar se faltar uma dose.

Idosos

A função renal deve ser verificada em doentes idosos antes de iniciar o tratamento com Fampyra. Recomenda-se a monitorização da função renal para detetar qualquer compromisso renal (ver secção 4.4).

Doentes com compromisso renal

Fampyra é contraindicado em doentes com compromisso renal ligeiro, moderado ou grave (depuração da creatinina <80 ml/min) (ver secção 4.3).

Doentes com compromisso hepático

Não é necessário qualquer ajuste da dose em doentes com compromisso hepático.

População pediátrica

A segurança e eficácia de Fampyra em crianças com idades entre 0 e 18 anos não foram estabelecidas. Não existem dados disponíveis.

Modo de administração

Fampyra é utilizada por via oral.

O comprimido deve ser engolido inteiro. Não pode ser dividido, esmagado, dissolvido, chupado nem mastigado.

4.3Contraindicações

Hipersensibilidade à fampridina ou a qualquer um dos excipientes mencionados na secção 6.1.

Tratamento concomitante com outros medicamentos contendo fampridina (4-aminopiridina).

Doentes com antecedentes ou ocorrência atual de convulsões.

Doentes com compromisso renal ligeiro, moderado ou grave (depuração da creatinina <80 ml/min).

Utilização concomitante de Fampyra com fármacos inibidores do Transportador Orgânico de Catião 2 (TOC2), como por exemplo, cimetidina.

4.4Advertências e precauções especiais de utilização

Risco de convulsão

O tratamento com fampridina aumenta o risco de convulsão (ver secção 4.8).

Fampyra deve ser administrado com precaução na presença de quaisquer fatores que possam reduzir o limiar convulsivo.

Fampyra deve ser descontinuado em doentes que sofrem convulsões durante o tratamento.

Compromisso renal

Fampyra é excretado principalmente pelos rins na forma inalterada. Os doentes com compromisso renal têm maiores concentrações plasmáticas, as quais estão associadas ao aumento de reações adversas, em particular de efeitos neurológicos. Recomenda-se a determinação do estado da função renal antes do tratamento e a sua monitorização durante o tratamento em todos os doentes (particularmente em idosos, nos quais a função renal pode estar reduzida). A depuração da creatinina pode ser calculada utilizando a fórmula de Cockroft-Gault.

Fampyra não pode ser administrada em doentes com compromisso renal (depuração da creatinina <80 ml/min) (ver secção 4.3).

É necessária precaução quando se prescreve Fampyra em simultâneo com fármacos que são substratos de TOC2, como por exemplo, carvedilol, propranolol e metformina.

Reações de hipersensibilidade

Foram notificadas reações graves de hipersensibilidade (incluindo reações anafiláticas) na experiência pós-comercialização, tendo a maioria destes casos ocorrido na primeira semana de tratamento. É necessária precaução especial em doentes com antecedentes de reações alérgicas. Se ocorrer uma reação anafilática ou outra reação alérgica grave, Fampyra deve ser descontinuado e não deve ser reiniciado.

Outras advertências e precauções

Fampyra deve ser administrado com precaução em doentes com sintomas cardiovasculares de disfunções cardíacas da condução sinoatrial ou atrioventricular (estes efeitos são observados em sobredosagem). Existe informação de segurança limitada sobre estes doentes.

A maior incidência de tonturas e distúrbios de equilíbrio observados com Fampyra pode resultar num maior risco de quedas. Por esse motivo, os doentes devem utilizar suportes de marcha de acordo com a necessidade.

4.5Interações medicamentosas e outras formas de interação

Os estudos de interação foram realizados apenas em adultos.

É contraindicado o tratamento com outros medicamentos contendo fampridina (4-amino piridina) (ver secção 4.3).

A fampridina é eliminada principalmente através dos rins, sendo a secreção renal ativa responsável por cerca de 60% da sua eliminação (ver secção 5.2). O TOC2 é o transportador responsável pela secreção ativa da fampridina. Deste modo, a utilização concomitante de fampridina com fármacos inibidores do TOC2, como por exemplo, a cimetidina, é contraindicada (ver secção 4.3), e é necessária precaução na utilização concomitante de fampridina com medicamentos que sejam substratos do TOC2, por exemplo, carvedilol, propanolol e metformina (ver secção 4.4).

Interferão: a fampridina tem sido administrada concomitantemente com interferão-beta e não se observaram interações medicamentosas farmacocinéticas.

Baclofeno: a fampridina tem sido administrada concomitantemente com baclofeno e não se observaram interações medicamentosas farmacocinéticas.

4.6Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

A quantidade de dados sobre a utilização de fampridina em mulheres grávidas é limitada.

Os estudos em animais demonstraram toxicidade reprodutiva (ver secção 5.3). Como medida de precaução, é preferível evitar a utilização de Fampyra durante a gravidez.

Amamentação

Desconhece-se se a fampridina é excretada no leite humano ou animal. Fampyra não é recomendada durante a amamentação.

Fertilidade

Não se observaram efeitos sobre a fertilidade em estudos animais.

4.7Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Fampyra tem uma influência moderada sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas, uma vez que pode causar tonturas.

4.8Efeitos indesejáveis

A segurança de Fampyra foi avaliada em estudos clínicos controlados e aleatorizados, em estudos de desenho aberto de longo prazo e num contexto de pós-comercialização.

As reações adversas identificadas são principalmente neurológicas e incluem convulsões, insónias, ansiedade, alterações do equilíbrio, tonturas, parestesia, tremor, cefaleia e astenia. Isto é consistente com a atividade farmacológica da fampridina. As reações adversas de maior incidência identificadas em ensaios controlados por placebo, realizados em doentes com esclerose múltipla tratados com as doses recomendadas de Fampyra, são notificadas como infeção do trato urinário (em, aproximadamente, 12% dos doentes).

As reações adversas são apresentadas abaixo por classes de sistemas de órgãos e frequência absoluta.

As frequências são definidas como: muito frequentes (≥ 1/10); frequentes (≥ 1/100 a < 1/10); pouco frequentes (≥1/.000 a <1/100); raros (≥1/10.000 a <1/1.000); muito raros (<1/10.000); desconhecido

(não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis).

As reações adversas são apresentadas por ordem decrescente de gravidade dentro de cada grupo de frequência.

Classes de sistemas de órgãos

Reação adversa

Categoria de frequência

segundo a base de dados

 

 

MedDRA

 

 

Infeções e infestações

Infeção do trato urinário

Muito Frequente

Doenças do sistema imunitário

Anafilaxia

Pouco Frequente

 

Angioedema

Pouco Frequente

 

Hipersensibilidade

Pouco Frequente

Perturbações do foro psiquiátrico

Insónia

Frequente

 

Ansiedade

Frequente

Doenças do sistema nervoso

Tontura

Frequente

 

Cefaleia

Frequente

 

 

 

Alteração do equilíbrio

Frequente

 

Parestesia

Frequente

 

Tremor

Frequente

 

Convulsão

Pouco Frequente

 

Exacerbação da nevralgia do

Pouco Frequente

 

trigémeo

 

Doenças Cardíacas

Palpitações

Frequente

 

Taquicardia

Pouco Frequente

Vasculopatias

Hipotensão*

Pouco Frequente

Doenças respiratórias, torácicas e

Dispneia

Frequente

do mediastino

Dor faringolaringea

Frequente

Doenças gastrointestinais

Náusea

Frequente

 

Vómitos

Frequente

 

Obstipação

Frequente

 

Dispepsia

Frequente

Afecções dos tecidos cutâneos e

Erupção cutânea

Pouco Frequente

subcutâneos

Urticária

Pouco Frequente

Afecções musculosqueléticas e

Dorsalgia

Frequente

dos tecidos conjuntivos

 

 

Perturbações gerais e alterações

Astenia

Frequente

no local de administração

Desconforto torácico*

Pouco Frequente

*Estes sintomas foram observados no contexto de hipersensibilidade

Descrição de reações adversas selecionadas

Convulsão

Na experiência pós-comercialização têm ocorrido notificações de convulsões com uma frequência desconhecida (não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis). Para mais informação sobre o risco de convulsão, ver secções 4.3 e 4.4.

Hipersensibilidade

Têm ocorrido notificações de hipersensibilidade (incluindo anafilaxia) na experiência pós- comercialização, associadas a um ou mais dos seguintes sintomas: dispneia, desconforto torácico, hipotensão, angioedema, erupção cutânea e urticária. Para mais informação sobre reações de hipersensibilidade, ver secções 4.3 e 4.4.

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reações adversas através do sistema nacional de notificação mencionado no Apêndice V

4.9Sobredosagem

Sintomas

Os sintomas agudos de sobredosagem com Fampyra foram consistentes com a excitação do sistema nervoso central e incluíram confusão, tremores, diaforese, convulsão e amnésia.

Os efeitos secundários do sistema nervoso central com doses elevadas de 4-aminopiridina incluem confusão, convulsões, estado epilético, movimentos involuntários e coreoatetoides. Outros efeitos secundários com doses elevadas incluem casos de arritmia cardíaca (por exemplo, taquicardia

supraventricular e bradicardia) e taquicardia ventricular como consequência do potencial prolongamento QT. Também foram recebidas notificações de hipertensão.

Tratamento

Os doentes que sofreram sobredosagem devem receber tratamento de suporte. A atividade convulsiva repetida deve ser tratada com benzodiazepinas, fenitoína, ou outra terapêutica anticonvulsiva aguda apropriada.

5.PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: Outros fármacos do sistema nervoso, código ATC: N07XX07.

Efeitos farmacodinâmicos

Fampyra é um bloqueador do canal de potássio. Ao bloquear os canais de potássio, Fampyra reduz a saída da corrente iónica através destes canais, prolongando assim a repolarização e aumentando a formação do potencial de ação nos axónios desmielinizados e na função neurológica. Presumivelmente, ao aumentar a formação do potencial de ação, mais impulsos podem ser conduzidos no sistema nervoso central.

Eficácia e segurança clínicas

Foram realizados três estudos de fase III, aleatorizados, em dupla ocultação, controlados por placebo e confirmatórios (MS-F203 e MS-F204 e 218MS305). A proporção de respondedores foi independente da terapêutica imunomoduladora concomitante (incluindo interferões, acetato de glatirâmero, fingolimod e natalizumab). A dose de Fampyra foi de 10 mg BID (2 vezes ao dia).

Estudos MS-F203 e MS-F204

O parâmetro de avaliação primário nos estudos MS-F203 e MS-F204 consistiu na taxa de doentes que responderam ao tratamento na velocidade de marcha, conforme medida pela Marcha Cronometrada de 25 pés (T25FW - Timed 25-foot Walk). Um dos doentes que respondeu ao tratamento foi definido como um doente que teve consistentemente uma velocidade de marcha mais rápida, em, pelo menos três consultas em 4 possíveis, durante o período de dupla ocultação em comparação com o valor máximo obtido num conjunto de cinco consultas fora do tratamento.

Uma proporção significativamente superior de doentes tratados com Fampyra foram respondedores em comparação com o placebo (MS-F203: 34,8% vs. 8,3%, p<0,001; MS-F204: 42,9% vs. 9,3%, p<0,001).

Os doentes que responderam a Fampyra aumentaram a sua velocidade de marcha, em média, 26,3% vs 5,3% com placebo (p< 0,001) (MS-F203) e 25,3% vs 7,8% (p< 0,001) (MS-F204). A melhoria surgiu rapidamente (dentro de semanas) após iniciar Fampyra.

Foram observadas melhorias estatística e clinicamente significativas na marcha, conforme medido pela Escala de Marcha da Esclerose Múltipla de 12 itens.

Tabela 1: Estudos MS-F203 e MS-F204

ESTUDO

MS-F203

MS-F204

 

 

Fampyra

Placebo

Fampyra

 

Placebo

 

 

10 mg BID

 

10 mg BID

n de participantes

Melhoria consistente

8,3%

34,8%

9,3%

42,9%

Diferença

 

26,5%

 

33,5%

IC95%

 

17,6%, 35,4%

 

23,2%, 43,9%

Valor- P

 

< 0,001

 

< 0,001

 

 

 

 

 

>20% melhoria

11,1%

31,7%

15,3%

34,5%

Diferença

 

20,6%

 

19.2%

IC95%

 

11,1%, 30,1%

 

8,5%, 29,9%

Valor P

 

<0,001

 

<0,001

Velocidade de marcha

Pés por segundo

Pés por segundo

Pés por segundo

Pés por segundo

Pés/seg.

 

 

 

 

Início

2,04

2,02

2,21

2,12

Parâmetro de avaliação

2,15

2,32

2,39

2,43

Alteração

0,11

0,30

0,18

0,31

Diferença

0,19

0,12

Valor-p

0,010

0,038

% Média de Alteração

5,24

13,88

7,74

14,36

Diferença

8,65

6,62

Valor-p

< 0,001

0,007

pontuação-MSWS-12

 

 

 

 

(média, sem)

 

 

 

 

Início

69,27 (2,22)

71,06 (1,34)

67,03 (1,90)

73,81 (1,87)

Média de Alteração

-0,01 (1,46)

-2,84 (0,878)

0,87 (1,22)

-2,77 (1,20)

Diferença

2,83

3,65

Valor-p

0,084

0,021

LEMMT (média, sem)

 

 

 

 

(Teste Manual dos

 

 

 

 

Músculos da

 

 

 

 

Extremidade Inferior)

 

 

 

 

Início

3,92 (0,070)

4,01 (0,042)

4,01 (0,054)

3,95 (0,053)

Média de Alteração

0,05 (0,024)

0,13 (0,014)

0,05 (0,024)

0,10 (0,024)

Diferença

0,08

0,05

Valor-p

0,003

0,106

Pontuação Ashworth

 

 

 

 

(Um teste

 

 

 

 

pasticidade muscular)

 

 

 

 

Início

0,98 (0,078)

0,95 (0,047)

0,79 (0,058)

0,87 (0,057)

Média de Alteração

-0,09 (0,037)

-0,18 (0,022)

-0,07 (0,033)

-0,17 (0,032)

Diferença

0,10

0,10

Valor-p

0,021

0,015

Estudo 218MS305

O estudo 218MS305 foi conduzido em 636 indivíduos com esclerose múltipla e incapacidade de marcha. A duração do tratamento em dupla ocultação foi de 24 semanas com um seguimento de 2 semanas pós-tratamento. O parâmetro de avaliação primário foi a melhoria na capacidade de marcha, avaliada como a proporção de doentes que atingiram uma melhoria média ≥ 8 pontos na

pontuação na MSWS-12, desde o início da terapêutica até às 24 semanas. Neste estudo, observou-se uma diferença no tratamento estatisticamente significativa com uma proporção superior de doentes tratados com Fampyra que demonstraram uma melhoria na capacidade de marcha em comparação com os doentes controlados com placebo (risco relativo de 1,38 (IC 95%: [1,06; 1,70]). As melhorias ocorreram, geralmente, no período de 2 a 4 semanas após o início do tratamento e desapareceram no período de 2 semanas após a cessação do mesmo.

Os doentes tratados com Fampyra também demonstraram uma melhoria estatisticamente significativa no Teste Cronometrado para avaliar a capacidade de Levantar e Caminhar (Timed Up and Go - TUG), uma medida do equilíbrio estático e dinâmico e da mobilidade física. Neste parâmetro de avaliação secundário, observou-se uma proporção superior de doentes tratados com Fampyra que atingiu uma melhoria média ≥ 15% em relação à velocidade inicial do TUG ao longo de um período de

24 semanas, em comparação com o placebo. A diferença na Escala de Equilíbrio de Berg [Berg Balance Scale (BBS); uma medida do equilíbrio estático], embora a diferença não tenha sido estatisticamente significativa.

Adicionalmente, os doentes tratados com Fampyra demonstraram uma melhoria média estatisticamente significativa na pontuação física na Escala de Impacto da Esclerose Múltipla (Multiple Sclerosis Impact Scale - MSIS-29) (diferença no MMQ de -3,31, p<0,001) desde o início, em comparação com o placebo.

Tabela 2: Estudo 218MS305

Ao longo de 24 semanas

Placebo

Fampyra 10 mg

Diferença (IC 95%)

 

N = 318*

BID

Valor de p

 

 

N = 315*

 

Proporção de doentes com

34%

43%

Diferença do risco:

uma melhoria média ≥ 8

 

 

10,4%

pontos na pontuação na

 

 

(3%; 17,8%)

MSWS-12 em relação ao

 

 

0,006

valor inicial

 

 

 

 

 

 

 

Pontuação na MSWS-12

 

 

MMQ: -4,14

Início

65,4

63,6

(-6,22; -2,06)

Melhoria desde o

-2,59

-6,73

<0,001

início

 

 

 

TUG

35%

43%

Diferença do risco:

Proporção de doentes

 

 

9,2% (0,9%; 17,5%)

com uma melhoria

 

 

0,03

média ≥ 15% na

 

 

 

velocidade do TUG

 

 

 

 

 

 

 

TUG

 

 

MMQ: -1,36

Início

27,1

24,9

(-2,85 ; 0,12)

Melhoria desde o

-1,94

-3,3

0,07

início (seg)

 

 

 

Pontuação física na

55,3

52,4

MMQ: -3,31

MSIS-29

-4,68

-8,00

(-5,13; -1,50)

Início

 

 

<0,001

Melhoria desde o

 

 

 

início

 

 

 

Pontuação na BBS

 

 

MMQ: 0,41

Início

40,2

40,6

(-0,13; 0,95)

Melhoria desde o

1,34

1,75

0,141

início

 

 

 

 

 

 

*População com intenção de tratar = 633; MMQ = Média dos mínimos quadrados

A Agência Europeia de Medicamentos dispensou a obrigação de apresentação dos resultados dos estudos com Fampyra em todos os sub-grupos da população pediátrica no tratamento da esclerose múltipla com disfunções da marcha (ver secção 4.2 para informação sobre utilização pediátrica).

5.2Propriedades farmacocinéticas

Absorção

A fampridina administrada por via oral é rápida e completamente absorvida pelo trato gastrointestinal. A fampridina tem um índice terapêutico estreito. A biodisponibilidade absoluta dos comprimidos de libertação prolongada de Fampyra não foi avaliada, mas a biodisponibilidade relativa (quando comparada a uma solução oral aquosa) é de 95%. Os comprimidos de libertação prolongada de Fampyra causam um atraso na absorção de fampridina manifestado pelo lento aumento até ao pico inferior de concentração, sem qualquer efeito na extensão da absorção.

Quando os comprimidos Fampyra são tomados com alimentos, a redução na área sob a curva da concentração plasmática - tempo (AUC0-∞) da fampridina é de, aproximadamente 2-7% (dose de

10 mg). Não se espera que a pequena redução na AUC cause uma redução na eficácia terapêutica. No entanto, a Cmax aumenta em 15-23%. Dado que existe uma relação clara entre a Cmax e as reações adversas relacionadas com a dose, recomenda-se a administração de Fampyra sem alimentos (ver secção 4.2).

Distribuição

A fampridina é um fármaco lipossolúvel que atravessa rapidamente a barreira hemato-encefálica. A fampridina tem uma baixa ligação às proteínas plasmáticas (a fração de ligação variou entre 3-7% no plasma humano). A fampridina tem um volume de distribuição de, aproximadamente, 2,6 l/kg.

A fampridina não é substrato para a glicoproteína P.

Biotransformação

A fampridina é metabolizada em seres humanos através da oxidação para 3-hidroxi-4-aminopiridina, sendo depois conjugada com o sulfato 3-hidroxi-4-aminopiridina. Não foi encontrada nenhuma atividade farmacológica dos metabolitos de fampridina em relação aos canais de potássio selecionados in vitro.

A 3-hidroxilação da fampridina para 3-hidroxi-4-aminopiridina pelos microssomas do fígado humano parece ser catalisada pelo Citocromo P450 2E1 (CYP2E1).

Houve evidência de inibição direta do CYP2E1 pela fampridina a 30 μM (aproximadamente 12% de inibição) que é, aproximadamente, 100 vezes a concentração plasmática média de fampridina medida para o comprimido de 10 mg.

O tratamento dos hepatócitos humanos de cultura com fampridina tem pouco ou nenhum efeito na indução das atividades das enzimas CYP1A2, CYP2B6, CYP2C9, CYP2C19, CYP2E1 ou CYP3A4/5.

Eliminação

A principal via de eliminação da fampridina é a excreção renal, sendo, aproximadamente, 90% da dose recuperada na urina na forma inalterada dentro de 24 horas. A eliminação renal (CLR

370 ml/min) é substancialmente maior do que a taxa de filtração glomerular devido à combinação da filtração glomerular e da excreção ativa pelo transportador renal TOC2. A excreção fecal é responsável por menos de 1% da dose administrada.

Fampyra caracteriza-se por uma farmacocinética linear (proporcional à dose) com uma semivida de eliminação de, aproximadamente, 6 horas. A concentração plasmática máxima (Cmax) e, em menor extensão, a área sob a curva da concentração plasmática-tempo (AUC) aumentou proporcionalmente com a dose. Não existe evidência de acumulação clinicamente relevante de fampridina administrada na dose recomendada em doentes com função renal normal. Em doentes com compromisso renal ocorre acumulação relacionada com o grau de compromisso.

Populações especiais

Doentes idosos

Os estudos clínicos de Fampyra não incluíram um número suficiente de participantes com idades iguais ou superiores a 65 anos que permitam determinar se respondem de forma diferente dos doentes mais jovens. Fampyra é excretado principalmente pelos rins, na forma inalterada, e sabendo-se que a depuração da creatinina diminui com a idade, deve considerar-se a monitorização da função renal em doentes idosos (ver secção 4.2).

População pediátrica

Não existem dados disponíveis.

Doentes com compromisso renal

A fampridina é eliminada principalmente pelos rins, na forma inalterada, pelo que a função renal deve ser verificada em doentes com função renal possivelmente comprometida. Espera-se que os doentes com compromisso renal ligeiro tenham, aproximadamente, 1,7 a 1,9 vezes as concentrações de fampridina atingidas pelos doentes com função renal normal. Fampyra não pode ser administrado a doentes com compromisso renal ligeiro, moderado ou grave (ver secção 4.3).

5.3Dados de segurança pré-clínica

A fampridina foi analisada em estudos de toxicidade de dose repetida por via oral em várias espécies animais.

As respostas adversas à fampridina administrada por via oral foram de início rápido e a maioria ocorreu dentro das primeiras 2 horas após a dose. Os sinais clínicos evidentes após doses únicas elevadas ou doses baixas repetidas foram semelhantes em todas as espécies estudadas e incluem tremores, convulsões, ataxia, dispneia, pupilas dilatadas, prostração, vocalização anormal, aumento da respiração e hipersalivação. Observaram-se ainda anomalias na marcha e hiperexcitabilidade. Estes sinais clínicos não foram inesperados e representam uma ação farmacológica exagerada da fampridina. Além disso, foram observados casos únicos de obstrução fatal do trato urinário em ratos. A relevância clínica destes resultados ainda não está esclarecida, mas não pode ser excluída uma relação causal com o tratamento com fampridina.

Nos estudos de toxicidade reprodutiva em ratos e coelhos, foi observada uma redução no peso e na viabilidade dos fetos e crias com doses tóxicas maternas. No entanto, não se observou um maior risco de malformações nem efeitos adversos na fertilidade.

Num conjunto de estudos in vitro e in vivo, a fampridina não revelou qualquer potencial para ser mutagénico, clastogénico nem carcinogénico.

6.INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1Lista de excipientes

Núcleo do comprimido:

Hipromelose

Celulose microcristalina

Sílica coloidal anidra

Estearato de magnésio

Película de revestimento:

Hipromelose

Dióxido de titânio (E-171)

Macrogol 400

6.2Incompatibilidades

Não aplicável.

6.3Prazo de validade

3 anos.

Após a primeira abertura de um frasco, utilizar dentro de 7 dias.

6.4Precauções especiais de conservação

Conservar a temperatura inferior a 25°C. Conservar os comprimidos na embalagem de origem para proteger da luz e da humidade.

6.5Natureza e conteúdo do recipiente

Fampyra é fornecido em embalagens com frascos ou blisters.

Frascos

Frascos de HDPE (polietileno de alta densidade) com tampa de polipropileno, sendo que cada frasco contém 14 comprimidos e um gel de sílica dessecante.

Embalagem com 28 comprimidos (2 frascos de 14). Embalagem com 56 comprimidos (4 frascos de 14).

Embalagens com blister

Blister laminado (alumínio/alumínio), com 14 comprimidos em cada blister. Embalagem com 28 (2 blisters de 14) comprimidos.

Embalagem com 56 (4 blisters de 14) comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

6.6Precauções especiais para eliminação

Não existem requisitos especiais.

7.TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Biogen Idec Limited

Innovation House

70 Norden Road

Maidenhead

Berkshire

SL6 4AY

Reino Unido

8.NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EU/1/11/699/001

EU/1/11/699/002

EU/1/11/699/003

EU/1/11/699/004

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização: 20 julho 2011

Data da última renovação: 18 maio 2017

10.DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet da Agência Europeia de Medicamentos: http://www.ema.europa.eu.

Comentários

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
  • Ajuda
  • Get it on Google Play
  • Acerca
  • Info on site by:

  • Presented by RXed.eu

  • 27558

    Medicamentos para prescrição listados