Portuguese
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
Escolha a língua do site

Helicobacter Test INFAI (13C-urea) – Resumo das características do medicamento - V04CX

Updated on site: 07-Oct-2017

Nome do medicamentoHelicobacter Test INFAI
Código ATCV04CX
Substância13C-urea
FabricanteINFAI, Institut für biomedizinische Analytik

1.NOME DO MEDICAMENTO

Helicobacter Test INFAI, 75 mg pó para solução oral.

2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Um reservatório contem 75 mg de 13C-ureia pó.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.FORMA FARMACÊUTICA

Pó branco, cristalino, para solução oral.

4.INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1Indicações terapêuticas

O Helicobacter Test INFAI pode ser utilizado para o diagnóstico in vivo da infecção gastroduodenal por Helicobacter pylori em:

-adultos,

-adolescentes, com possível úlcera péptica.

Este medicamento é apenas para diagnóstico.

4.2Posologia e modo de administração

Este produto médico deve ser administrado por um profissional de saúde e sob supervisão médica apropriada.

Posologia

Helicobacter Test INFAI é um teste de respiração para uma única administração.

Os adultos e os adolescentes dos 12 aos 17 anos tomam o conteúdo de um boião de 75 mg.

Modo de administração

Para a realização do teste são necessários 200 ml de sumo de laranja 100 % puro ou 1g de ácido cítrico dissolvido em 200ml de água (como refeição antes do teste) bem como água da torneira (para dissolução do pó de 13C-ureia).

O paciente tem de estar em jejum durante as 6 horas que precedem o teste, de preferência desde a noite anterior. O teste demora aproximadamente 40 minutos.

Em caso de necessidade de repetição do teste, este não deve ser realizado até no dia seguinte.

A supressão do Helicobacter pylori pode dar lugar a resultados negativos falsos. Nestas condições o teste deve ser realizado depois de pelo menos 4 semanas sem terapia anti bacteriana sistémica e 2 semanas depois da última dose de agentes anti-secretores ácidos. Ambos podem interferir com a situação do Helicobacter pylori. Isto é particularmente importante depois de uma terapêutica de erradicação de Helicobacter.

É importante seguir adequadamente as instruções de utilização descritas no ponto 6.6, senão pode tornar-se questionável a validade do resultado.

4.3Contraindicações

Este teste não deve ser utilizado em pacientes com infecção gástrica, ou gastrite atrófica, documentada ou suspeita, que poderia interferir com o teste de respiração da ureia. Consultar, por favor, o ponto 4.2 (Posologia e modo de administração).

4.4Advertências e precauções especiais de utilização

Um teste positivo não constitui por si só indicação para terapia de erradicação. Pode estar indicado um diagnóstico diferencial com métodos invasivos endoscópicos, de forma a examinar a presença de quaisquer outras complicações, por exemplo, úlcera, gastrite auto-imune ou tumores malignos.

Existem dados insuficientes sobre a capacidade de diagnostico do teste INFAI para recomendar a sua utilização em pacientes com gastrectomia e em pacientes menores aos 12 anos. Para crianças a partir dos 3 anos, está disponível o Teste do Helicobacter INFAI dos 3 aos 11 anos.

Em casos isolados de gastrite-A (gastrite atrófica) o teste de respiração pode dar resultados falsos positivos; podem ser requeridos outros ensaios para confirmar o estado do Helicobacter pylori.

Se o paciente vomitar durante a realização do teste, sendo necessária a repetição do mesmo, esta só se pode realizar no dia seguinte, em jejum, como se indica no ponto 4.2.

4.5Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Helicobacter Test INFAI será afectado por todos os tratamentos que interfiram com o estado do Helicobacter pylori ou com a actividade da urease.

4.6Fertilidade, gravidez e aleitamento

Não é de esperar que o procedimento de teste possa ser prejudicial durante a gravidez ou lactação.

É recomendável tomar nota da informação do produto, dos produtos de terapêutica de erradicação para a sua utilização durante a gravidez e lactação.

4.7Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

O Helicobacter Test INFAI não tem influência na condução e utilização de máquinas.

4.8Efeitos indesejáveis

Não se conhecem.

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reações adversas através do sistema nacional de notificação mencionado no Apêndice V.

4.9Sobredosagem

Tendo em conta que são ingeridas apenas 75 mg de 13C-ureia, não são esperados problemas de sobre dosagem.

5.PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1Propriedades farmacodinâmicas

Grupo fármaco-terapêutico: Outros agentes de diagnóstico, Código ATC: VO4CX

Para a quantidade de 75 mg de 13C-ureia, quando administrada em toma única no decorrer do teste de respiração, não está descrita qualquer actividade farmacodinâmica.

Após ingestão oral, a ureia marcada atinge a mucosa gástrica. Na presença do Helicobacter pylori, a 13C-ureia é metabolizada pelo enzima urease do Helicobacter pylori.

2H2N(13CO)NH2 + 2H2O enzima urease

4NH3 + 213CO2

O dióxido de carbono difunde-se dentro dos vasos sanguíneos, sendo transportado sob a forma de bicarbonato até aos pulmões, sendo depois libertado como 13CO2 com o ar expirado.

Na presença da urease bacteriana a razão dos isótopos de carbono 13C/12C é alterada significativamente. A proporção de 13CO2 nas amostras de ar expirado é determinada por espectrometria de massa de relação de isótopos (IRMS) e é expressa como a diferença absoluta (valor ∆δ) entre os valores dos 00 e dos 30 minutos.

A urease é produzida no estômago apenas pela Helicobacter pylori. Raramente foram encontradas outras bactérias produtoras de urease na flora gástrica.

O ponto crítico para catalogar pacientes como Helicobacter pylori negativos ou positivos é determinado por um valor ∆δ de 4 ‰, o que significa que um aumento do valor ∆δ em mais de 4 ‰ é indicador de infecção. Em comparação com os diagnósticos bióticos de uma infecção por Helicobacter pylori, o teste de respiração atinge, em ensaios clínicos com 457 pacientes, uma sensibilidade no intervalo entre 96,5 % e 97,9 % [95 %-CI: 94,05 % - 99,72 %], e um raio de especificidade entre 96,7 % e 100,0 % [95 %-CI: 94,17 % - 103,63 %]. Em ensaios clínicos com 93 adolescentes dos 12 aos 17 anos, o teste de respiração atinge uma sensibilidade de 97,7 % [90 %-CI: 91,3 %], e uma especificidade de 96,7 % [90 %-CI: 89,7 %].

Na ausência de urease bacteriana, toda a ureia administrada, após reabsorção no tracto gastro- intestinal, será metabolizada como a ureia endógena. O amoníaco resultante da hidrólise bacteriana é incluído no metabolismo como NH4+.

5.2Propriedades farmacocinéticas

A 13C-ureia administrada oralmente é metabolizada em dióxido de carbono e amoníaco ou é integrada no ciclo metabólico da ureia. Qualquer aumento do 13CO2 será medido por análise isotópica.

A absorção e distribuição de 13CO2 é mais rápida do que a reacção da urease. Nestas condições, o passo de limitação de velocidade de todo o processo é a clivagem da 13C-ureia pela urease do

Helicobacter.

Apenas nos pacientes Helicobacter pylori positivos a administração de 75 mg de ureia marcada leva, dentro dos primeiros 30 minutos, a um aumento significativo de 13CO2 na amostra de ar expirado.

5.3Dados da segurança pré-clínica

Não há preocupações relacionadas com a utilização clínica do produto.

6.INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1Lista dos excipientes

Nenhum.

6.2Incompatibilidades

Não aplicavel.

6.3Prazo de validade

3 anos

6.4Precauções especiais de conservação

Não conservar acima de 25°C.

6.5Natureza e conteúdo do recipiente

Um conjunto de teste contém as seguintes partes:

Componente

Quantidade

Boião (10 ml de volume, poliestireno com tampa estriada de

polietileno) contendo 75 mg de 13C-ureia em pó para solução oral

 

Recipientes de amostragem rotulados de vidro ou plástico para

 

amostragem, conservação e transporte das amostras de ar para

 

análise:

 

 

Tempo de amostragem: 00 - minutos - valor

 

Tempo de amostragem: 30 - minutos - valor

Palhinha dobrável para recolha das amostras de ar directamente

para os recipientes de amostragem correspondentes

 

 

Folha de dados para documentação do doente

Folheto para o paciente

Folha com rótulos e adesivo

6.6Precauções especiais de eliminação e manuseamento

1.O teste deve realizar-se na presença duma pessoa qualificada.

2.Cada paciente deve estar documentado de acordo com a folha de dados fornecida. Recomenda- se que o teste seja realizado com o paciente em posição de repouso.

3.O teste inicia-se com a recolha de amostras para determinação do valor basal (00-minutos- valor):

Retire a palhinha dobrável e os 2 recipientes de amostragem com o rótulo: ”tempo de amostragem: 00-minutos-valor” do conjunto de teste.

Retire a tampa de um dos recipientes de amostragem, desembrulhe a palhinha dobrável e coloque a palhinha no recipiente.

Respire agora com suavidade através da palhinha até que a superficie interna do recipiente fique condensada no recipiente de amostra

Sem nunca deixar de respirar, retire a palhinha e feche de imediato o recipiente de amostragem com a sua tampa.

(se o recipiente de amostragem permanecer aberto durante mais de 30 segundos, os resultados do teste podem ficar falseados).

Mantenha o recipiente de amostragem em posição vertical e cole o rótulo com código de barras legendado ”00 - minutos - valor” em torno do recipiente de amostragem de modo a que as linhas do código barras fiquem horizontais.

4.Encher o segundo recipiente de amostragem (Rótulo : “tempo de amostragem: 00 - minutos - valor”) com a expiração e seguindo o mesmo procedimento.

5.Neste momento devem ser bebidos sem demora 200 ml de sumo de laranja 100 % ou 1 g de ácido cítrico dissolvido em 200ml de água

6.Segue agora a preparação da solução de teste :

Retire do conjunto de teste o boião etiquetado com "pó de 13C-ureia", abrir e encher com água da torneira até três quartos do seu volume.

Feche o boiãoe agitar cuidadosamente até completa dissolução do pó. Despeje o

conteúdo para um copo.

Encha de novo o boião de 13C-ureia com água até à marca uma segunda e uma terceira vezes e juntar os conteúdos ao copo (o volume total de água deve ser aproximadamente 30 ml).

7.Esta solução de teste deve ser bebida imediatamente pelo paciente e a hora da ingestão deve ser anotada.

8.Trinta minutos após a ingestão da solução de teste (ponto 7.), recolha as amostras valor-30- minutos nos 2 recipientes de amostragem colocados no conjunto de teste, (Rótulo: “Tempo de amostragem: 30 - minutos - valor”), como descrito nos pontos 3. a 4.

Usar as etiquetas com código barras marcadas “30 - minutos - valor” para estas amostras.

9.Coloque o rótulo com código de barras relevante na folha de dados para documentação do paciente. Finalmente, sele a embalagem com o adesivo.

10.Os recipientes com as amostras devem ser enviados na embalagem original para análise num laboratório qualificado.

Análise de amostras de respiração e especificações de teste para laboratórios

As amostras de respiração, recolhidas nos recipientes de amostra de 10 ml de vidro ou plástico, são analizadas mediante espectrometria de massa de relação de isótopos (IRMS).

A análise de razão 13C/12C do dióxido de carbono na respiração é uma parte integrada do kit de diagnóstico Helicobacter Test INFAI. A exactidão do teste depende fundamentalmente da qualidade de análise da respiração. A especificação dos parâmetros do espectrómetro de massa, tais como a lineariedade, a estabilidade (precisão do gás de referência) e a precisão da medição são fundamentais para a exactidão do sistema.

É necessário assegurar-se de que a análise seja efectuada por laboratorios qualificados. O método validado no pedido é o seguinte :

Preparação da amostra para IRMS

Para determinar a razão 13C/12C do dióxido de carbono existente na respiração, mediante análise de espectrometria de massa, o dióxido de carbono deverá ser separado a partir da respiração e introduzido no espectrómetro de massa. O sistema de preparação automática, no caso dos espectrómetros de massa isotópicos dedicado à análise do teste da respiração, baseia-se numa técnica cromatográfica gasosa de separação de fluxo contínuo.

A água elimina-se da amostra através de um dreno de água Nafion ou pelo sistema de preparação cromatográfico gasoso, que separa os gases individuais numa coluna cromatográfica gasosa com o Hélio como eluente. Passando para a coluna, as espécies separadas de gás da respiração são detectadas por meio dum detector de ionização. A fracção do gás dióxido de carbono, identificada pelo seu período característico de retenção, é introduzida no espectrómetro de massa.

Análise espectrométrica de massa

Para analizar a amostra separada do gás dióxido de carbono, as suas moléculas deverão ser ionizadas, formadas num feixe, aceleradas por un campo eléctrico, deflectidas num campo magnético e, finalmente, detectadas. Estes cinco processos realizam-se no analizador dum espectrómetro de massa que possui três secções diferentes : a fonte, o tubo de trajectória e o colector. A ionização, a formação em feixe e a aceleração têm lugar na fonte; a deflexão magnética processa-se no tubo de trajectória e a detecção é realizada no colector

Introdução de amostras

Estão disponíveis muitos sistemas de introdução de amostras para a introdução do dióxido de carbono no analizador. Quanto à análise do teste de respiração, é essencial a calibragem individual do dióxido de carbono da amostra a um gás de referência padrão. Isto assegura a grande precisão deste sistema

uma vez que o calculo do conteúdo isotópico em dióxido de carbono se realiza em relação a um padrão independente.

Especificações para a determinação da relação 13C/12C

O conceito do teste de respiração bascia-se na administração de uma ureia especificamente marcada 13C-, cuja utilização metabólica é monitorizada mediante medição do 13CO2, no gás da respiração expirada.

O espectrómetro de massa deverá ser capaz de :

A análise replicada múltipla : Um mínimo de 3 análises replicadas sobre a mesma amostra durante a

 

operação.

segurança de acessos :

Conservação dos parâmetros operacionais e dos resultados sob

 

segurança de acessos para evitar manipulações posteriores.

Ajustamento :

Razão 13C/12C, relativamente ao PDB (Pee Dee Beliminate).

Ciclo da amostra espécime :

< 200 µl.

Os principais testes para verificar as especificações são : lineariedade, estabilidade (precisão do gás de referência) e precisão da medição.

Todos os espectrómetros de massa para análise do respiração devem estar conformes às seguintes especificações :

Lineariedade:

≤ 0,5 ‰ para amostras de respiração, variando entre 1 % e 7 % de

Estabilidade:

concentração de CO2.

≤ 0,2 ‰ em 10 pulsações consecutivas.

Precisão de medição :

≤ 0,3 ‰ do 13C no seu conteúdo natural, utilizando um recipiente de

 

10 ml de amostra de respiração com uma concentração de 3 % de CO2

 

na respiração.

Está-se na presença de uma infecção por Helicobacter pylori se a diferença na razão 13C/12C entre o valor basal e o valor aos 30 minutos exceder 4 ‰.

Também pode ser utilizado qualquer outro método adequado validado, desde que seja utilizado por um laboratório objectivamente qualificado.

7.TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

INFAI, Institut für biomedizinische Analytik & NMR-Imaging GmbH

Universitätsstraße 142

D-44799 Bochum

Alemanha

8.NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EU/1/97/045/001

9. DATA DA PRIMERA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização: 19 de agosto de 1997

Data da última renovação: 19 de agosto de 2007

10.DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet da Agência Europeia de Medicamentos: http://www.ema.europa.eu.

1. NOME DO MEDICAMENTO

Helicobacter Test INFAI, 75 mg pó para solução oral.

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Um boião contém 75 mg de 13C-ureia pó.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1

3. FORMA FARMACÊUTICA

Pó branco, cristalino, para solução oral.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

O Helicobacter Test INFAI pode ser utilizado para o diagnóstico in vivo da infecção gastroduodenal por Helicobacter pylori em:

-adultos,

-adolescentes, com possível úlcera péptica.

Este medicamento é apenas para diagnóstico.

4.2 Posologia e modo de administração

Este produto médico deve ser administrado por um profissional de saúde e sob supervisão médica apropriada.

Posologia

Helicobacter Test INFAI é um teste de respiração realizado para uma única administração. Os pacientes a partir dos 12 anos de idade tomam o conteúdo de um boião de 75 mg.

Modo de administração

Para a realização do teste são necessários 200 ml de sumo de laranja 100 % puro ou 1g de ácido cítrico dissolvido em 200ml de água (como refeição antes do teste) bem como água da torneira (para dissolução do pó de 13C-ureia).

O paciente tem de estar em jejum durante as 6 horas que precedem o teste, de preferência desde a noite anterior. O teste demora aproximadamente 40 minutos.

Em caso de necessidade de repetição do teste, este não deve ser realizado até no dia seguinte.

A supressão do Helicobacter pylori pode dar lugar a resultados negativos falsos. Nestas condições o teste deve ser realizado depois de pelo menos 4 semanas sem terapia anti bacteriana sistémica e 2 semanas depois da última dose de agentes anti-secretores ácidos. Ambos podem interferir com a situação do Helicobacter pylori. Isto é particularmente importante depois de uma terapêutica de erradicação de Helicobacter.

É importante seguir adequadamente as instruções de utilização descritas no ponto 6.6, senão pode tornar-se questionável a validade do resultado.

4.3 Contraindicações

Este teste não deve ser utilizado em pacientes com infecção gástrica, ou gastrite atrófica, documentada ou suspeita, que poderia interferir com o teste de respiração da ureia. Consultar, por favor, o ponto 4.2 (Posologia e modo de administração).

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Um teste positivo não constitui por si só indicação para terapia de erradicação. Pode estar indicado um diagnóstico diferencial com métodos invasivos endoscópicos, de forma a examinar a presença de quaisquer outras complicações, por exemplo, úlcera, gastrite auto-imune ou tumores malignos.

Existem dados insuficientes sobre a capacidade de diagnostico do teste INFAI para recomendar a sua utilização em pacientes com gastrectomia e em pacientes menores aos 12 anos. Para crianças a partir dos 3 anos, está disponível o Teste do Helicobacter INFAI dos 3 aos 11 anos.

Em casos isolados de gastrite-A (gastrite atrófica) o teste de respiração pode dar resultados falsos positivos; podem ser requeridos outros ensaios para confirmar o estado do Helicobacter pylori.

Se o paciente vomitar durante a realização do teste, sendo necessária a repetição do mesmo, esta só se pode realizar no dia seguinte, em jejum, como se indica no ponto 4.2.

4.5 Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Helicobacter Test INFAI será afectado por todos os tratamentos que interfiram com o estado do Helicobacter pylori ou com a actividade da urease.

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Não é de esperar que o procedimento de teste possa ser prejudicial durante a gravidez ou lactação.

É recomendável tomar nota da informação do produto, dos produtos de terapêutica de erradicação para a sua utilização durante a gravidez e lactação.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

O Helicobacter Test INFAI não tem influência na condução e utilização de máquinas.

4.8 Efeitos indesejáveis

Não se conhecem.

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reações adversas através do sistema nacional de notificação mencionado no Apêndice V.

4.9 Sobredosagem

Tendo em conta que são ingeridas apenas 75 mg de 13C-ureia, não são esperados problemas de sobre dosagem.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo fármaco-terapêutico: Outros agentes de diagnóstico, Código ATC: VO4CX

Para a quantidade de 75 mg de 13C-ureia, quando administrada em toma única no decorrer do teste de respiração, não está descrita qualquer actividade farmacodinâmica.

Após ingestão oral, a ureia marcada atinge a mucosa gástrica. Na presença do Helicobacter pylori, a 13C-ureia é metabolizada pelo enzima urease do Helicobacter pylori.

2H2N(13CO)NH2 + 2H2O

enzima urease 4NH3 + 213CO2

O dióxido de carbono difunde-se dentro dos vasos sanguíneos, sendo transportado sob a forma de bicarbonato até aos pulmões, sendo depois libertado como 13CO2 com o ar expirado.

Na presença da urease bacteriana a razão dos isótopos de carbono 13C/12C é alterada significativamente. A proporção de 13CO2 nas amostras de ar expirado é determinada por espectrometria de infravermelhos não dispersiva (NDIR) e é expressa como a diferença absoluta (valor

∆δ) entre os valores dos 00 e dos 30 minutos.

A urease é produzida no estômago apenas pela Helicobacter pylori. Raramente foram encontradas outras bactérias produtoras de urease na flora gástrica.

O ponto crítico para catalogar pacientes como Helicobacter pylori negativos ou positivos é

determinado por um valor ∆δ de 4 ‰, o que significa que um aumento do valor ∆δ em mais de 4 ‰ é indicador de infecção. Em comparação com os diagnósticos bióticos de uma infecção por Helicobacter pylori, o teste de respiração atinge, em ensaios clínicos com 457 pacientes, uma sensibilidade no intervalo entre 96,5% e 97,9% [95%-CI: 94,05% - 99,72%], e um raio de especificidade entre 96,7% e 100,0%[95%-CI: 94,17% - 103,63%].

Na ausência de urease bacteriana, toda a ureia administrada, após reabsorção no tracto gastro- intestinal, será metabolizada como a ureia endógena. O amoníaco resultante da hidrólise bacteriana é incluído no metabolismo como NH4+.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

A 13C-ureia administrada oralmente é metabolizada em dióxido de carbono e amoníaco ou é integrada no ciclo metabólico da ureia. Qualquer aumento do 13CO2 será medido por análise isotópica.

A absorção e distribuição de 13CO2 é mais rápida do que a reacção da urease. Nestas condições, o passo de limitação de velocidade de todo o processo é a clivagem da 13C-ureia pela urease do

Helicobacter.

Apenas nos pacientes Helicobacter pylori positivos a administração de 75 mg de ureia marcada leva, dentro dos primeiros 30 minutos, a um aumento significativo de 13CO2 na amostra de ar expirado.

5.3 Dados da segurança pré-clínica

Não há preocupações relacionadas com a utilização clínica do produto.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

Nenhum.

6.2 Incompatibilidades

Não aplicavel.

6.3 Prazo de validade

3 anos

6.4 Precauções especiais de conservação

Não conservar acima de 25°C.

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente

Um conjunto de teste contem 1 boião com os componentes adicionais:

Componente

Quantidade

Boião (10 ml de volume, poliestireno com tampa estriada de

polietileno) contendo 75 mg de 13C-ureia em pó para solução oral

 

Sacos de recolha de ar:

 

Tempo de amostragem: 00 - minutos - valor

 

Tempo de amostragem: 30 - minutos – valor

Palhinha dobrável para recolha das amostras respiratórias para os

sacos respiratórios correspondentes

 

 

Folha de dados para documentação do doente

Folheto para o paciente

Rótulos com código de barras e adesivo

Uma caixa de testes contem 50 reservatórios com os componentes adicionais:

Componente

Quantidade

Boião (10 ml de volume, poliestireno com tampa estriada de

polietileno) contendo 75 mg de 13C-ureia em pó para solução oral

 

Sacos de recolha de ar:

 

Tempo de amostragem: 00 - minutos - valor

 

Tempo de amostragem: 30 - minutos – valor

Palhinha dobrável para recolha das amostras respiratórias para os

sacos respiratórios correspondentes

 

 

Folha de dados para documentação do doente

Folheto para o paciente

Rótulos com código de barras e adesivo

6.6 Precauções especiais de eliminação e manuseamento

1.O teste deve realizar-se na presença duma pessoa qualificada.

2.Cada paciente deve estar documentado de acordo com a folha de dados fornecida. Recomenda- se que o teste seja realizado com o paciente em posição de repouso.

3.O teste inicia-se com a recolha da amostra para determinação do valor basal (00-minutos-valor):

Retire a palhinha dobrável e o saco de recolha de ar com o rótulo: ”tempo de amostragem: 00-minutos-valor” do conjunto de teste.

Retire a tampa do saco de recolha de ar, desembrulhe a palhinha dobrável e coloque a palhinha no saco.

Respire agora com suavidade através da palhinha no saco de recolha de ar

Sem nunca deixar de respirar, retire a palhinha e feche de imediato o saco com a sua tampa.

(Se o saco de recolha de ar permanecer aberto durante mais de 30 segundos, os resultados do teste podem ficar falseados).

Mantenha o saco de recolha de ar em posição vertical e cole o rótulo com código de barras legendado ”00 – minutos – valor” em torno do sacode.

4.Neste momento devem ser bebidos sem demora 200 ml de sumo de laranja 100% ou 1g de ácido cítrico dissolvido em 200ml de água.

5.Segue agora a preparação da solução de teste :

Retire do conjunto de teste o boião etiquetado com “pó de 13C-ureia”, abrir e encher com água da torneira até três quartos do seu volume.

Feche o boiãoe agitar cuidadosamente até completa dissolução do pó. Despeje o conteúdo para um copo.

Encha de novo o boião de 13C-ureia com água até à marca uma segunda e uma terceira vezes e juntar os conteúdos ao copo (o volume total de água deve ser aproximadamente 30 ml).

6.Esta solução de teste deve ser bebida imediatamente pelo paciente e a hora da ingestão deve ser anotada.

7.Trinta minutos após a ingestão da solução de teste (ponto 6.), recolha a amostra valor-30- minutos no saco de recolha de ar colocado no conjunto de teste, (Rótulo: “Tempo de amostragem: 30 – minutos – valor”), como descrito no ponto 3. Usar a etiqueta com código barras marcada “30 – minutos – valor” para esta amostra.

8.Coloque o rótulo com código de barras relevante na folha de dados para documentação do paciente. Finalmente, sele a embalagem com o adesivo.

9.Os sacos de recolha de ar devem ser enviados na embalagem original para análise num laboratório qualificado.

Análise de amostras de respiração e especificações de teste para laboratórios

As amostras de respiração, colhidas em sacos de recolha de ar, são analizadas mediante espectrometria de infravermelhos não dispersiva (NDIR).

A análise de razão 13C/12C do dióxido de carbono na respiração é uma parte integrada do kit de diagnóstico Helicobacter Test INFAI. A exactidão do teste depende fundamentalmente da qualidade de análise da respiração. A especificação dos parâmetros da análise da respiração, tais como a lineariedade, a estabilidade (precisão do gás de referência) e a precisão da medição são fundamentais para a exactidão do sistema.

É necessário assegurar-se de que a análise seja efectuada por laboratorios qualificados. Após colheita da amostra, recomenda-se que a medição seja efectuada o mais breve possivel, em caso algum demorar mais de 4 semanas.

O método validado no pedido é o seguinte :

Preparação da amostra para a espectrometria de infravermelhos

A determinação da razão 13C/12C no dióxido de carbono existente nas amostras de respiração é efectuada directamente na respiração. O ar expirado recolhido nos sacos é introduzido no espectrómetro de NDIR mediante uma bomba de gás variável. O teor de água da amostra de respiração manter-se-á praticamente sempre constante graças ao separador de água Nafion. Para efeitos de calibragem e medição, o ar isento de CO2 necessário (gás zero) será produzido através de um absorvente de CO2 integrado no analisador.

Análise espectrométrica por infravermelhos

Para analisar o dióxido de carbono na respiração, um feixe de radiações infravermelhas de banda larga, emitido por uma fonte de radiação infravermelha, é enviado alternadamente através da câmara de mediação e de uma câmara de referência mediante um interruptor de raios. Os raios infravermelhos modulados entram, então, nos detectores de infravermelhos, que são detectores de transmissão de camada dupla com uma câmara frontal e uma posterior, cada uma contendo um dos gases isotopicamente puros (13CO2 ou 12CO2, respectivamente) a medir. A radiação infravermelha na câmara de medição é enfraquecida pelo componente do gás a medir. Assim, o equilíbrio da radiação entre o raio de medição e o comparativo é perturbado. Consequentemente, ocorre uma flutuação de temperatura que, por seu turno, provoca uma flutuação na pressão da câmara frontal do detector de infravermelhos. Um condensador de membrana ligado a esta câmara, exposto a uma tensão directa de alta resistência, transforma estas flutuações de pressão numa tensão alterna, que constitui a medida da composição isotópica do dióxido de carbono na respiração.

Introdução de amostras

Um sistema de introdução de amostras semi-automático injecta o gás de medição em quantidades definidas no gás zero que circula no circuito de gás do espectrómetro de infravermelhos. Isto permite medir a razão 13C/12C em qualquer concentração superior a 1%.

Especificações para a determinação da relação 13C/12C

O conceito do teste de respiração baseia-se na administração oral de uma ureia marcada 13C, cuja hidrólise enzimática é monitorizada mediante medição do 13CO2 na respiração utilizando a espectrometria de infravermelhos não dispersiva.

Os espectrómetros de infravermelhos para análise da respiração têm de cumprir as seguintes especificações:

A análise replicada múltipla: Um mínimo de três análises replicadas de uma mesma amostra durante a operação

Segurança de acessos: Conservação dos parâmetros operacionais sob segurança de acessos para evitar manipulações posteriores

Para verificar as especificações, a linearidade, a estabilidade e a precisão de medição têm de ser testadas.

Ajuste do ponto zero dos detectores através do gás zero gerado no espectrómetro. Ajuste do ponto zero dos detectores através de gases de calibragem em concentrações bem definidas.

Linearidade:

≤ 0.5‰ para amostras de respiração variando entre 1% e 7% de

 

concentração de CO2

Estabilidade:

≤ 0.3‰ em 10 pulsações consecutivas

Precisão de medição:

≤ 0.5‰ do 13C no seu conteúdo natural, utilizando um saco de recolha

 

de ar expirado de 100ml com uma concentração de 3% de CO2 na

 

respiração

Está-se na presença de uma infecção por Helicobacter pylori se a diferença na razão entre o valor basal e o valor aos 30 minutos exceder 4‰.

Também pode ser utilizado qualquer outro método adequado validado, desde que seja utilizado por um laboratório objectivamente qualificado.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

INFAI, Institut für biomedizinische Analytik & NMR-Imaging GmbH

Universitätsstraße 142

D-44799 Bochum

Alemanha

8.NÚMEROS DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EU/1/97/045/002

EU/1/97/045/004

9. DATA DA PRIMERA AUTORIZAÇÃO / RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização: 19 de agosto de 1997

Data da última renovação: 19 de agosto de 2007

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet da Agência Europeia de Medicamentos: http://www.ema.europa.eu.

1. NOME DO MEDICAMENTO

Teste Helicobacter INFAI para crianças dos 3 aos 11 anos de idade, 45 mg, pó para solução oral

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Um reservatório contem 45 mg de 13C-ureia pó.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Pó branco, cristalino, para solução oral.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

O Teste Helicobacter INFAI para crianças dos 3 aos 11 anos de idade pode utilizar-se para o diagnóstico “in vivo” da infecção gastroduodenal por Helicobacter pylori.

-para a avaliação do sucesso do tratamento de erradicação, ou

-quanto testes invasivos não podem ser realizados, ou

-quanto surgem resultatos discordantes em testes invasivos

Este medicamento è apenas para diagnóstico.

4.2 Posologia e modo de administração

Este produto médico deve ser administrado por um profissional de saúde e sob supervisão médica apropriada.

Posologia

Teste Helicobacter INFAI para crianças dos 3 aos 11 anos de idade é um teste de respiração para uma única administração. Os pacientes dos 3 aos 11 anos tomam o conteúdo de um boião de 45 mg.

Modo de administração

Para a realização do teste são necessários 100 ml de sumo de laranja 100% puro (como refeição antes do teste) bem como água da torneira (para dissolução do pó de 13C-ureia).

O paciente tem de estar em jejum durante as 6 horas que precedem o teste, de preferência desde a noite anterior. O teste demora aproximadamente 40 minutos.

Em caso de necessidade de repetição do teste, este não deve ser realizado até no dia seguinte.

A supressão do Helicobacter pylori pode dar lugar a resultados negativos falsos. Nestas condições o teste deve ser realizado depois de pelo menos 4 semanas sem terapia anti bacteriana sistémica e 2 semanas depois da última dose de agentes anti-secretores ácidos. Ambos podem interferir com a situação do Helicobacter pylori. Isto é particularmente importante depois de uma terapêutica de erradicação de Helicobacter.

É importante seguir adequadamente as instruções de utilização descritas no ponto 6.6, senão pode tornar-se questionável a validade do resultado.

4.3 Contraindicações

Este teste não deve ser utilizado em pacientes com infecção gástrica, ou gastrite atrófica, documentada ou suspeita, que poderia interferir com o teste de respiração da ureia. Consultar, por favor, o ponto 4.2 (Posologia e modo de administração).

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Um teste positivo não constitui por si só indicação para terapia de erradicação. Pode estar indicado um diagnóstico diferencial com métodos invasivos endoscópicos, de forma a examinar a presença de quaisquer outras complicações, por exemplo, úlcera, gastrite auto-imune ou tumores malignos.

Existem dados insuficientes sobre a capacidade de diagnostico do teste INFAI para recomendar a sua utilização em pacientes com gastrectomia.

Em casos isolados de gastrite-A (gastrite atrófica) o teste de respiração pode dar resultados falsos positivos; podem ser requeridos outros ensaios para confirmar o estado do Helicobacter pylori.

Se o paciente vomitar durante a realização do teste, sendo necessária a repetição do mesmo, esta só se pode realizar no dia seguinte, em jejum, como se indica no ponto 4.2.

4.5 Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Teste Helicobacter INFAI para crianças dos 3 aos 11 anos de idade será afectado por todos os tratamentos que interfiram com o estado do Helicobacter pylori ou com a actividade da urease.

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Não aplicável.

4.7Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar maquinas

Não aplicável.

4.8 Efeitos indesejáveis

Não se conhecem.

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reações adversas através do sistema nacional de notificação mencionado no Apêndice V.

4.9 Sobredosagem

Tendo em conta que são ingeridas apenas 45 mg de 13C-ureia, não são esperados problemas de sobre dosagem.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo fármaco-terapêutico: Outros agentes de diagnóstico, Código ATC: VO4CX

Para a quantidade de 45 mg de 13C-ureia, quando administrada em toma única no decorrer do teste de respiração, não está descrita qualquer actividade farmacodinâmica.

Após ingestão oral, a ureia marcada atinge a mucosa gástrica. Na presença do Helicobacter pylori, a 13C-ureia é metabolizada pelo enzima urease do Helicobacter pylori.

2H2N(13CO)NH2 + 2H2O

enzima urease 4NH3 + 213CO2

O dióxido de carbono difunde-se dentro dos vasos sanguíneos, sendo transportado sob a forma de bicarbonato até aos pulmões, sendo depois libertado como 13CO2 com o ar expirado.

Na presença da urease bacteriana a razão dos isótopos de carbono 13C/12C é alterada significativamente. A proporção de 13CO2 nas amostras de ar expirado é determinada por espectrometria de massa de relação de isótopos (IRMS) e é expressa como a diferença absoluta (valor

∆δ) entre os valores dos 00 e dos 30 minutos.

A urease é produzida no estômago apenas pela Helicobacter pylori. Raramente foram encontradas outras bactérias produtoras de urease na flora gástrica.

O ponto crítico para catalogar pacientes como Helicobacter pylori negativos ou positivos é

determinado por um valor ∆δ de 4 ‰, o que significa que um aumento do valor ∆δ em mais de 4 ‰ é indicador de infecção. Em comparação com os diagnósticos bióticos de uma infecção por Helicobacter pylori, o teste de respiração atinge, em ensaios clínicos com 168 pacientes dos 3 aos 11 anos, uma sensibilidade de 98,4% [90%-CI: ≥93,9%], e uma especificidade de 98,1% [90%-CI: ≥95,1%].

Na ausência de urease bacteriana, toda a ureia administrada, após reabsorção no tracto gastro- intestinal, será metabolizada como a ureia endógena. O amoníaco resultante da hidrólise bacteriana é incluído no metabolismo como NH4+.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

A 13C-ureia administrada oralmente é metabolizada em dióxido de carbono e amoníaco ou é integrada no ciclo metabólico da ureia. Qualquer aumento do 13CO2 será medido por análise isotópica.

A absorção e distribuição de 13CO2 é mais rápida do que a reacção da urease. Nestas condições, o passo de limitação de velocidade de todo o processo é a clivagem da 13C-ureia pela urease do

Helicobacter.

Apenas nos pacientes Helicobacter pylori positivos a administração de 45 mg de ureia marcada leva, dentro dos primeiros 30 minutos, a um aumento significativo de 13CO2 na amostra de ar expirado.

5.3 Dados da segurança pré-clínica

Não há preocupações relacionadas com a utilização clínica do produto.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

Nenhum.

6.2 Incompatibilidades

Não aplicavel.

6.3 Prazo de validade

3 anos.

6.4 Precauções especiais de conservação

Não conservar acima de 25°C.

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente

Um conjunto de teste contém as seguintes partes:

Componente

Quantidade

Boião (10 ml de volume, poliestireno com tampa estriada de

polietileno) contendo 45 mg de 13C-ureia em pó para solução oral

 

Recipientes de amostragem rotulados de vidro ou plástico para

 

 

amostragem, conservação e transporte das amostras de ar para

 

análise:

 

 

Tempo de amostragem: 00–- minutos–- valor

 

Tempo de amostragem: 30–- minutos–- valor

Palhinha dobrável para recolha das amostras de ar directamente para

os recipientes de amostragem correspondentes

 

 

Folha de dados para documentação do doente

Folheto para o paciente

Folha com rótulos e adesivo

6.6 Precauções especiais de eliminação e manuseamento

1.O teste deve realizar-se na presença duma pessoa qualificada.

2.Cada paciente deve estar documentado de acordo com a folha de dados fornecida. Recomenda- se que o teste seja realizado com o paciente em posição de repouso.

3.O teste inicia-se com a recolha de amostras para determinação do valor basal (00-minutos- valor):

Retire a palhinha dobrável e os 2 recipientes de amostragem com o rótulo: ”tempo de amostragem: 00-minutos-valor” do conjunto de teste.

Retire a tampa de um dos recipientes de amostragem, desembrulhe a palhinha dobrável e coloque a palhinha no recipiente.

Respire agora com suavidade através da palhinha até que a superficie interna do recipiente fique condensada no recipiente de amostra

Sem nunca deixar de respirar, retire a palhinha e feche de imediato o recipiente de amostragem com a sua tampa. (se o recipiente de amostragem permanecer aberto durante mais de 30 segundos, os resultados do teste podem ficar falseados).

Mantenha o recipiente de amostragem em posição vertical e cole o rótulo com código de barras legendado ”00–- minutos–- valor” em torno do recipiente de amostragem de modo a que as linhas do código barras fiquem horizontais.

4.Encher o segundo recipiente de amostragem (Rótulo : “tempo de amostragem: 00–- minutos–- valor”) com a expiração e seguindo o mesmo procedimento.

5.Neste momento devem ser bebidos sem demora 100 ml de sumo de laranja 100%.

6.Segue agora a preparação da solução de teste :

Retire do conjunto de teste o boião etiquetado com“"pó de 13C-urei”", abrir e encher com água da torneira até três quartos do seu volume.

Feche o boião e agite cuidadosamente até completa dissolução do pó. Despeje o conteúdo para um copo.

Encha de novo o boião de 13C-ureia com água até à marca uma segunda e uma terceira vezes e juntar os conteúdos ao copo (o volume total de água deve ser aproximadamente 30 ml).

7.Esta solução de teste deve ser bebida imediatamente pelo paciente e a hora da ingestão deve ser anotada.

8.Trinta minutos após a ingestão da solução de teste (ponto 7.), recolha as amostras valor-30- minutos nos 2 recipientes de amostragem colocados no conjunto de teste, (Rótulo: “Tempo de amostragem: 30–- minutos–- valor”), como descrito nos pontos 3. a 4.

Usar as etiquetas com código barras marcadas “30–- minutos–- valor” para estas amostras.

9.Coloque o rótulo com código de barras relevante na folha de dados para documentação do paciente. Finalmente, sele a embalagem com o adesivo.

10.Os recipientes com as amostras devem ser enviados na embalagem original para análise num laboratório qualificado.

Análise de amostras de respiração e especificações de teste para laboratórios

As amostras de respiração, recolhidas nos recipientes de amostra de 10 ml de vidro ou plástico, são analizadas mediante espectrometria de massa de relação de isótopos (IRMS).

A análise de razão 13C/12C do dióxido de carbono na respiração é uma parte integrada do kit de diagnóstico Teste Helicobacter INFAI para crianças dos 3 aos 11 anos de idade. A exactidão do teste depende fundamentalmente da qualidade de análise da respiração. A especificação dos parâmetros do espectrómetro de massa, tais como a lineariedade, a estabilidade (precisão do gás de referência) e a precisão da medição são fundamentais para a exactidão do sistema.

É necessário assegurar-se de que a análise seja efectuada por laboratórios qualificados. O método validado no pedido é o seguinte :

Preparação da amostra para IRMS

Para determinar a razão 13C/12C do dióxido de carbono existente na respiração, mediante análise de espectrometria de massa, o dióxido de carbono deverá ser separado a partir da respiração e introduzido no espectrómetro de massa. O sistema de preparação automática, no caso dos espectrómetros de massa isotópicos dedicado à análise do teste da respiração, baseia-se numa técnica cromatográfica gasosa de separação de fluxo contínuo.

A água elimina-se da amostra através de um dreno de água Nafion ou pelo sistema de preparação cromatográfico gasoso, que separa os gases individuais numa coluna cromatográfica gasosa com o Hélio como eluente. Passando para a coluna, as espécies separadas de gás da respiração são detectadas por meio dum detector de ionização. A fracção do gás dióxido de carbono, identificada pelo seu período característico de retenção, é introduzida no espectrómetro de massa.

Análise espectrométrica de massa

Para analizar a amostra separada do gás dióxido de carbono, as suas moléculas deverão ser ionizadas, formadas num feixe, aceleradas por un campo eléctrico, deflectidas num campo magnético e, finalmente, detectadas. Estes cinco processos realizam-se no analizador dum espectrómetro de massa que possui três secções diferentes : a fonte, o tubo de trajectória e o colector. A ionização, a formação em feixe e a aceleração têm lugar na fonte; a deflexão magnética processa-se no tubo de trajectória e a detecção é realizada no colector.

Introdução de amostras

Estão disponíveis muitos sistemas de introdução de amostras para a introdução do dióxido de carbono no analizador. Quanto à análise do teste de respiração, é essencial a calibragem individual do dióxido de carbono da amostra a um gás de referência padrão. Isto assegura a grande precisão deste sistema uma vez que o cálculo do conteúdo isotópico em dióxido de carbono se realiza em relação a um padrão independente.

Especificações para a determinação da relação 13C/12C

O conceito do teste de respiração baseia-se na administração de uma ureia especificamente marcada 13C-, cuja utilização metabólica é monitorizada mediante medição do 13CO2, no gás da respiração expirada.

O espectrómetro de massa deverá ser capaz de :

Análise replicada múltipla :

Um mínimo de 3 análises replicadas sobre a mesma amostra durante a

 

operação.

Segurança de acessos :

Conservação dos parâmetros operacionais e dos resultados sob

 

segurança de acessos para evitar manipulações posteriores.

Ajustamento :

Razão 13C/12C, relativamente ao PDB (Pee Dee Beliminate).

Ciclo da amostra espécime :

< 200 µl.

Os principais testes para verificar as especificações são : lineariedade, estabilidade (precisão do gás de referência) e precisão da medição.

Todos os espectrómetros de massa para análise de respiração devem estar conformes às seguintes especificações :

Lineariedade:

≤ 0,5‰ para amostras de respiração, variando entre 1% e 7% de

 

concentração de CO2.

Estabilidade:

≤ 0,2‰ em 10 pulsações consecutivas.

Precisão de medição :

≤ 0,3‰ do 13C no seu conteúdo natural, utilizando um recipiente de

 

10 ml de amostra de respiração com uma concentração de 3% de CO2

 

na respiração.

Está-se na presença de uma infecção por Helicobacter pylori se a diferença na razão 13C/12C entre o valor basal e o valor aos 30 minutos exceder 4‰.

Também pode ser utilizado qualquer outro método adequado validado, desde que seja utilizado por um laboratório objectivamente qualificado.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

INFAI, Institut für biomedizinische Analytik & NMR-Imaging GmbH

Universitätsstraße 142

D-44799 Bochum

Alemanha

8. NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EU/1/97/045/003

9. DATA DA PRIMERA AUTORIZAÇÃO / RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização: 19 de agosto de 1997

Data da última renovação: 19 de agosto de 2007

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet da Agência Europeia de Medicamentos: http://www.ema.europa.eu.

1. NOME DO MEDICAMENTO

Helicobacter Test INFAI, 75 mg pó para solução oral.

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Um boião contém 75 mg de 13C-ureia pó.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Pó branco, cristalino, para solução oral.

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 Indicações terapêuticas

O Helicobacter Test INFAI pode ser utilizado para o diagnóstico in vivo da infecção gastroduodenal por Helicobacter pylori em:

-adultos,

-adolescentes, com possível úlcera péptica.

Este medicamento é apenas para diagnóstico.

4.2 Posologia e modo de administração

Este produto médico deve ser administrado por um profissional de saúde e sob supervisão médica apropriada.

Posologia

Helicobacter Test INFAI é um teste de respiração realizado para uma única administração. Os pacientes a partir dos 12 anos de idade tomam o conteúdo de um boião de 75 mg.

Modo de administração

Para a realização do teste são necessários 200 ml de sumo de laranja 100 % puro ou 1 g de ácido cítrico dissolvido em 200ml de água (como refeição antes do teste) bem como água da torneira (para dissolução do pó de 13C-ureia).

O paciente tem de estar em jejum durante as 6 horas que precedem o teste, de preferência desde a noite anterior. O teste demora aproximadamente 40 minutos.

Em caso de necessidade de repetição do teste, este não deve ser realizado até no dia seguinte.

A supressão do Helicobacter pylori pode dar lugar a resultados negativos falsos. Nestas condições o teste deve ser realizado depois de pelo menos 4 semanas sem terapia anti bacteriana sistémica e 2 semanas depois da última dose de agentes anti-secretores ácidos. Ambos podem interferir com a situação do Helicobacter pylori. Isto é particularmente importante depois de uma terapêutica de erradicação de Helicobacter.

É importante seguir adequadamente as instruções de utilização descritas no ponto 6.6, senão pode tornar-se questionável a validade do resultado.

4.3 Contraindicações

Este teste não deve ser utilizado em pacientes com infecção gástrica, ou gastrite atrófica, documentada ou suspeita, que poderia interferir com o teste de respiração da ureia. Consultar, por favor, o ponto 4.2 (Posologia e modo de administração).

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Um teste positivo não constitui por si só indicação para terapia de erradicação. Pode estar indicado um diagnóstico diferencial com métodos invasivos endoscópicos, de forma a examinar a presença de quaisquer outras complicações, por exemplo, úlcera, gastrite auto-imune ou tumores malignos.

Existem dados insuficientes sobre a capacidade de diagnostico do teste INFAI para recomendar a sua utilização em pacientes com gastrectomia e em pacientes menores aos 12 anos. Para crianças a partir dos 3 anos, está disponível o Teste do Helicobacter INFAI dos 3 aos 11 anos.

Em casos isolados de gastrite-A (gastrite atrófica) o teste de respiração pode dar resultados falsos positivos; podem ser requeridos outros ensaios para confirmar o estado do Helicobacter pylori.

Se o paciente vomitar durante a realização do teste, sendo necessária a repetição do mesmo, esta só se pode realizar no dia seguinte, em jejum, como se indica no ponto 4.2.

4.5 Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Helicobacter Test INFAI será afectado por todos os tratamentos que interfiram com o estado do Helicobacter pylori ou com a actividade da urease.

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Não é de esperar que o procedimento de teste possa ser prejudicial durante a gravidez ou lactação.

É recomendável tomar nota da informação do produto, dos produtos de terapêutica de erradicação para a sua utilização durante a gravidez e lactação.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

O Helicobacter Test INFAI não tem influência na condução e utilização de máquinas.

4.8 Efeitos indesejáveis

Não se conhecem.

Notificação de suspeitas de reações adversas

A notificação de suspeitas de reações adversas após a autorização do medicamento é importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reações adversas através do sistema nacional de notificação mencionado no Apêndice V.

4.9 Sobredosagem

Tendo em conta que são ingeridas apenas 75 mg de 13C-ureia, não são esperados problemas de sobre dosagem.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo fármaco-terapêutico: Outros agentes de diagnóstico, Código ATC: VO4CX

Para a quantidade de 75 mg de 13C-ureia, quando administrada em toma única no decorrer do teste de respiração, não está descrita qualquer actividade farmacodinâmica.

Após ingestão oral, a ureia marcada atinge a mucosa gástrica. Na presença do Helicobacter pylori, a 13C-ureia é metabolizada pelo enzima urease do Helicobacter pylori.

2H2N(13CO)NH2 + 2H2O

enzima urease 4NH3 + 213CO2

O dióxido de carbono difunde-se dentro dos vasos sanguíneos, sendo transportado sob a forma de bicarbonato até aos pulmões, sendo depois libertado como 13CO2 com o ar expirado.

Na presença da urease bacteriana a razão dos isótopos de carbono 13C/12C é alterada significativamente. A proporção de 13CO2 nas amostras de ar expirado é determinada por espectrometria de infravermelhos não dispersiva (NDIR) e é expressa como a diferença absoluta (valor

∆δ) entre os valores dos 00 e dos 30 minutos.

A urease é produzida no estômago apenas pela Helicobacter pylori. Raramente foram encontradas outras bactérias produtoras de urease na flora gástrica.

O ponto crítico para catalogar pacientes como Helicobacter pylori negativos ou positivos é

determinado por um valor ∆δ de 4 ‰, o que significa que um aumento do valor ∆δ em mais de 4 ‰ é indicador de infecção. Em comparação com os diagnósticos bióticos de uma infecção por Helicobacter pylori, o teste de respiração atinge, em ensaios clínicos com 457 pacientes, uma sensibilidade no intervalo entre 96,5% e 97,9% [95%-CI: 94,05% - 99,72%], e um raio de especificidade entre 96,7% e 100,0%[95%-CI: 94,17% - 103,63%].

Na ausência de urease bacteriana, toda a ureia administrada, após reabsorção no tracto gastro- intestinal, será metabolizada como a ureia endógena. O amoníaco resultante da hidrólise bacteriana é incluído no metabolismo como NH4+.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

A 13C-ureia administrada oralmente é metabolizada em dióxido de carbono e amoníaco ou é integrada no ciclo metabólico da ureia. Qualquer aumento do 13CO2 será medido por análise isotópica.

A absorção e distribuição de 13CO2 é mais rápida do que a reacção da urease. Nestas condições, o passo de limitação de velocidade de todo o processo é a clivagem da 13C-ureia pela urease do

Helicobacter.

Apenas nos pacientes Helicobacter pylori positivos a administração de 75 mg de ureia marcada leva, dentro dos primeiros 30 minutos, a um aumento significativo de 13CO2 na amostra de ar expirado.

5.3 Dados da segurança pré-clínica

Não há preocupações relacionadas com a utilização clínica do produto.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

Nenhum.

6.2 Incompatibilidades

Não aplicavel.

6.3 Prazo de validade

3 anos

6.4 Precauções especiais de conservação

Não conservar acima de 25°C.

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente

Uma caixa de testes contem 50 reservatórios com os componentes adicionais:

Componente

Quantidade

Boião (10 ml de volume, poliestireno com tampa estriada de

polietileno) contendo 75 mg de 13C-ureia em pó para solução oral

Folha de dados para documentação do doente

Folheto para o paciente

Folha com rótulos de códigos de barras e adesivo

6.6 Precauções especiais de eliminação e manuseamento

1.O teste deve realizar-se na presença duma pessoa qualificada.

2.Cada paciente deve estar documentado de acordo com a folha de dados fornecida. Recomenda- se que o teste seja realizado com o paciente em posição de repouso.

3.O teste inicia-se com a recolha da amostra para determinação do valor basal (00-minutos-valor):

Retire a palhinha dobrável e os recipientes para amostras de ar expirado com o rótulo: ”tempo de amostragem: 00-minutos-valor” do conjunto de teste.

Retire a tampa dos recipientes para amostras de ar expirado (tubo ou saco de recolha de ar), desembrulhe a palhinha dobrável e coloque a palhinha no recipiente.

Respire agora com suavidade através da palhinha rapara dentro do recipiente para amostras de ar expirado.

Sem nunca deixar de respirar, retire a palhinha e feche de imediato o recipiente para amostras de ar expirado com a sua tampa.

(Se o saco de recolha de ar permanecer aberto durante mais de 30 segundos, os resultados do teste podem ficar falseados).

Mantenha o tubo de amostra ou saco de recolha de ar em posição vertical e cole o rótulo com código de barras legendado ”00 - minutos - valor” em torno do recipiente.

4.Encha o segundo tubo de amostra (Rótulo “tempo de amostragem: 00-minutos-valor”) com ar expirado seguindo o mesmo procedimento. Para a análise com infravermelhos, só é utilizado um saco de ar.

5.Neste momento devem ser bebidos sem demora 200 ml de sumo de laranja 100% ou 1g de ácido cítrico dissolvido em 200ml de água.

6.Segue agora a preparação da solução de teste :

Retire do conjunto de teste o boião etiquetado com "pó de 13C-ureia", abrir e encher com água da torneira até três quartos do seu volume.

Feche o boião e agitar cuidadosamente até completa dissolução do pó. Despeje o

conteúdo para um copo.

Encha de novo o boião de 13C-ureia com água até à marca uma segunda e uma terceira vezes e juntar os conteúdos ao copo (o volume total de água deve ser aproximadamente 30 ml).

7.Esta solução de teste deve ser bebida imediatamente pelo paciente e a hora da ingestão deve ser anotada.

8.Trinta minutos após a ingestão da solução de teste (ponto 7.), recolha a amostra valor-30- minutos no recipiente de amostra de ar expirado (tubo ou sacos de ar) (Rótulo: “Tempo de amostragem: 30 - minutos - valor”), como descrito nos pontos 3 e 4. Usar a etiqueta com código barras marcada “30 - minutos - valor” para estas amostras.

9.Coloque o rótulo com código de barras relevante na folha de dados para documentação do paciente. Finalmente, sele a embalagem com o adesivo.

10.aros recipientes de amostra de ar expirado (tubo ou sacos de ar) devem ser enviados para análise num laboratório qualificado.

Análise de amostras de respiração e especificações de teste para laboratórios para espectrómetro de infravermelhos ou espectrometria de massa (IRMS)

Espectroscopia de infravermelhos (NDIR)

As amostras de respiração, colhidas em sacos de recolha de ar, são analizadas mediante espectrometria de infravermelhos não dispersiva (NDIR).

A análise de razão 13C/12C do dióxido de carbono na respiração é uma parte integrada do kit de diagnóstico Helicobacter Test INFAI. A exactidão do teste depende fundamentalmente da qualidade de análise da respiração. A especificação dos parâmetros da análise da respiração, tais como a lineariedade, a estabilidade (precisão do gás de referência) e a precisão da medição são fundamentais para a exactidão do sistema.

É necessário assegurar-se de que a análise seja efectuada por laboratorios qualificados. Após colheita da amostra, recomenda-se que a medição seja efectuada o mais breve possivel, em caso algum demorar mais de 4 semanas.

O método validado no pedido é o seguinte :

Preparação da amostra para a espectrometria de infravermelhos

A determinação da razão 13C/12C no dióxido de carbono existente nas amostras de respiração é efectuada directamente na respiração. O ar expirado recolhido nos sacos é introduzido no espectrómetro de NDIR mediante uma bomba de gás variável. O teor de água da amostra de respiração manter-se-á praticamente sempre constante graças ao separador de água Nafion. Para efeitos de calibragem e medição, o ar isento de CO2 necessário (gás zero) será produzido através de um absorvente de CO2 integrado no analisador.

Análise espectrométrica por infravermelhos

Para analisar o dióxido de carbono na respiração, um feixe de radiações infravermelhas de banda larga, emitido por uma fonte de radiação infravermelha, é enviado alternadamente através da câmara de mediação e de uma câmara de referência mediante um interruptor de raios. Os raios infravermelhos modulados entram, então, nos detectores de infravermelhos, que são detectores de transmissão de camada dupla com uma câmara frontal e uma posterior, cada uma contendo um dos gases isotopicamente puros (13CO2 ou 12CO2, respectivamente) a medir. A radiação infravermelha na câmara de medição é enfraquecida pelo componente do gás a medir. Assim, o equilíbrio da radiação entre o raio de medição e o comparativo é perturbado. Consequentemente, ocorre uma flutuação de temperatura que, por seu turno, provoca uma flutuação na pressão da câmara frontal do detector de infravermelhos. Um condensador de membrana ligado a esta câmara, exposto a uma tensão directa de

alta resistência, transforma estas flutuações de pressão numa tensão alterna, que constitui a medida da composição isotópica do dióxido de carbono na respiração.

Introdução de amostras

Um sistema de introdução de amostras semi-automático injecta o gás de medição em quantidades definidas no gás zero que circula no circuito de gás do espectrómetro de infravermelhos. Isto permite medir a razão 13C/12C em qualquer concentração superior a 1%.

Especificações para a determinação da relação 13C/12C

O conceito do teste de respiração baseia-se na administração oral de uma ureia marcada 13C, cuja hidrólise enzimática é monitorizada mediante medição do 13CO2 na respiração utilizando a espectrometria de infravermelhos não dispersiva.

Os espectrómetros de infravermelhos para análise da respiração têm de cumprir as seguintes especificações:

A análise replicada múltipla: Um mínimo de três análises replicadas de uma mesma amostra durante a operação

Segurança de acessos: Conservação dos parâmetros operacionais sob segurança de acessos para evitar manipulações posteriores

Para verificar as especificações, a linearidade, a estabilidade e a precisão de medição têm de ser testadas.

Ajuste do ponto zero dos detectores através do gás zero gerado no espectrómetro. Ajuste do ponto zero dos detectores através de gases de calibragem em concentrações bem definidas.

Linearidade:

≤ 0.5‰ para amostras de respiração variando entre 1% e 7% de

 

concentração de CO2

Estabilidade:

≤ 0.3‰ em 10 pulsações consecutivas

Precisão de medição:

≤ 0.5‰ do 13C no seu conteúdo natural, utilizando um saco de recolha

 

de ar expirado de 100ml com uma concentração de 3% de CO2 na

 

respiração

Está-se na presença de uma infecção por Helicobacter pylori se a diferença na razão entre o valor basal e o valor aos 30 minutos exceder 4‰.

Também pode ser utilizado qualquer outro método adequado validado, desde que seja utilizado por um laboratório objectivamente qualificado.

Análise de amostras de respiração e especificações de teste para laboratórios

Espectrometria de massa (IRMS)

As amostras de respiração, colhidas em sacos de recolha de ar, são analizadas mediante espectrometria de infravermelhos não dispersiva (NDIR).

A análise de razão 13C/12C do dióxido de carbono na respiração é uma parte integrada do kit de diagnóstico Helicobacter Test INFAI. A exactidão do teste depende fundamentalmente da qualidade de análise da respiração. A especificação dos parâmetros da análise da respiração, tais como a lineariedade, a estabilidade (precisão do gás de referência) e a precisão da medição são fundamentais para a exactidão do sistema.

É necessário assegurar-se de que a análise seja efectuada por laboratorios qualificados. Após colheita da amostra, recomenda-se que a medição seja efectuada o mais breve possivel, em caso algum demorar mais de 4 semanas.

O método validado no pedido é o seguinte :

Preparação da amostra para a espectrometria de infravermelhos

A determinação da razão 13C/12C no dióxido de carbono existente nas amostras de respiração é efectuada directamente na respiração. O ar expirado recolhido nos sacos é introduzido no espectrómetro de NDIR mediante uma bomba de gás variável. O teor de água da amostra de respiração manter-se-á praticamente sempre constante graças ao separador de água Nafion. Para efeitos de calibragem e medição, o ar isento de CO2 necessário (gás zero) será produzido através de um absorvente de CO2 integrado no analisador.

Análise espectrométrica por infravermelhos

Para analisar o dióxido de carbono na respiração, um feixe de radiações infravermelhas de banda larga, emitido por uma fonte de radiação infravermelha, é enviado alternadamente através da câmara de mediação e de uma câmara de referência mediante um interruptor de raios. Os raios infravermelhos modulados entram, então, nos detectores de infravermelhos, que são detectores de transmissão de camada dupla com uma câmara frontal e uma posterior, cada uma contendo um dos gases isotopicamente puros (13CO2 ou 12CO2, respectivamente) a medir. A radiação infravermelha na câmara de medição é enfraquecida pelo componente do gás a medir. Assim, o equilíbrio da radiação entre o raio de medição e o comparativo é perturbado. Consequentemente, ocorre uma flutuação de temperatura que, por seu turno, provoca uma flutuação na pressão da câmara frontal do detector de infravermelhos. Um condensador de membrana ligado a esta câmara, exposto a uma tensão directa de alta resistência, transforma estas flutuações de pressão numa tensão alterna, que constitui a medida da composição isotópica do dióxido de carbono na respiração.

Introdução de amostras

Um sistema de introdução de amostras semi-automático injecta o gás de medição em quantidades definidas no gás zero que circula no circuito de gás do espectrómetro de infravermelhos. Isto permite medir a razão 13C/12C em qualquer concentração superior a 1%.

Especificações para a determinação da relação 13C/12C

O conceito do teste de respiração baseia-se na administração oral de uma ureia marcada 13C, cuja hidrólise enzimática é monitorizada mediante medição do 13CO2 na respiração utilizando a espectrometria de infravermelhos não dispersiva.

Os espectrómetros de infravermelhos para análise da respiração têm de cumprir as seguintes especificações:

A análise replicada múltipla: Um mínimo de três análises replicadas de uma mesma amostra durante a operação

Segurança de acessos: Conservação dos parâmetros operacionais sob segurança de acessos para evitar manipulações posteriores

Para verificar as especificações, a linearidade, a estabilidade e a precisão de medição têm de ser testadas.

Ajuste do ponto zero dos detectores através do gás zero gerado no espectrómetro. Ajuste do ponto zero dos detectores através de gases de calibragem em concentrações bem definidas.

Linearidade:

≤ 0.5‰ para amostras de respiração variando entre 1% e 7% de

 

concentração de CO2

Estabilidade:

≤ 0.3‰ em 10 pulsações consecutivas

Precisão de medição:

≤ 0.5‰ do 13C no seu conteúdo natural, utilizando um saco de recolha

 

de ar expirado de 100ml com uma concentração de 3% de CO2 na

 

respiração

Está-se na presença de uma infecção por Helicobacter pylori se a diferença na razão entre o valor basal e o valor aos 30 minutos exceder 4‰.

Também pode ser utilizado qualquer outro método adequado validado, desde que seja utilizado por um laboratório objectivamente qualificado.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

INFAI, Institut für biomedizinische Analytik & NMR-Imaging GmbH

Universitätsstraße 142

D-44799 Bochum

Alemanha

8. NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EU/1/97/045/005

9. DATA DA PRIMERA AUTORIZAÇÃO / RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização: 19 de agosto de 1997

Data da última renovação: 19 de agosto de 2007

10. DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet da Agência Europeia de Medicamentos: http://www.ema.europa.eu.

Comentários

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
  • Ajuda
  • Get it on Google Play
  • Acerca
  • Info on site by:

  • Presented by RXed.eu

  • 27558

    Medicamentos para prescrição listados