Portuguese
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Maci (autologous cultured chondrocytes) – Resumo das características do medicamento - M09AX02

Updated on site: 08-Oct-2017

Nome do medicamentoMaci
Código ATCM09AX02
Substânciaautologous cultured chondrocytes
FabricanteVericel Denmark ApS
Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Isto irá permitir a rápida identificação de nova informação de segurança. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reações adversas. Para saber como notificar reações adversas, ver secção 4.8.

1. NOME DO MEDICAMENTO

MACI 500 000 a 1 000 000 células/cm2 matriz para implantação

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada implante contém cultura de condrócitos autólogos caraterizados aplicados numa matriz.

2.1 Descrição geral

específicos dos condrócitos, cultivados numa membrana de colagénio tipo I/III de origem porcina com marca CE.

Condrócitos autólogos viáveis caraterizados expandidos ex vivo queSuspendedexpressam genes marcadores

2.2 Composição qualitativa e quantitativa

Cada matriz para implantaçãoAuthorisationconsiste em condrócitos autólogos caraterizados numa membrana de

colagénio tipo I/III de 14,5 cm², com uma densidade de 500 000 a 1 000 000 células por cm2, que se destina a ser cortada pelo cirurgião em função da dimensão e forma da lesão.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Matriz para implantação.

O implante consiste numa membrana opaca, esbranquiçada, inoculada com condrócitos, fornecido em 18 ml de solução incolor numa placa.

Marketing4.1 Indicações terapêuticas

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

MACI é indicado para a reparação de lesões sintomáticas de toda a espessura da cartilagem do joelho (grau III e IV da Escala de Outerbridge Modificada) de 3 a 20 cm2 em doentes adultos esqueleticamente maduros.

4.2 Posologia e modo de administração

MACI destina-se apenas a utilização autóloga.

MACI deve ser administrado por um cirurgião devidamente formado e qualificado para a utilização de MACI.

Modo de administração Para implantação.

Posologia

A quantidade de MACI administrada depende do tamanho (superfície em cm2) da lesão da cartilagem. A matriz para implantação é cortada pelo cirurgião responsável pelo tratamento em função do tamanho e forma da lesão, para assegurar que a área afetada é completamente coberta, e é implantada com o lado que contém as células virado para baixo. A dose administrada corresponde a 500 000 a 1 000 000 de células autólogas/cm2 de matriz para implantação.

A utilização de MACI nesta faixa etária não foi ainda estudada. A utilização de MACI nos idosos com degeneração generalizada da cartilagem ou osteoartrite não é recomendada.

Populações especiais

Suspended

População idosa (mais de 65 anos de idade)

 

População pediátrica

A segurança e eficácia de MACI em crianças com menos de 18 anos de idade não foram ainda estabelecidas.

Não existem dados disponíveis.

ou selante de fibrina( ver secção 4.5), aplicado moderada e diretamente nos pontos da hemorragia, é um agente hemostático adequado.

O leito do defeito deveAuthorisationser desbridado apenas até à placa subcondral e não através desta. Devem ser evitadas hemorragias através da placa subcondral, mas se ocorrer, devem ser controladas. Epinefrina

A implantação de MACI é realizada utilizando técnicas cirúrgicas estéreis e requer tanto a preparação do leito da lesão como a aplicação de selante de fibrina na base e no rebordo da lesão para fixar o implante. Conforme o critério do cirurgião, poderão ser igualmente utilizadas algumas suturas absorvíveis com pontos interrompidos para uma fixação adicional.

A implantação deve ser seguida de um plano de reabilitação apropriado (ver secção 4.4). Para informações sobre a preparação e manuseamento de MACI, ver secção 6.6.

4.3 Contraindicações

• Hipersensibilidade a qualquer um dos excipientes mencionados na secção 6.1, produtos Marketingsuínos ou quaisquer componentes vestigiais resultantes de contaminação por “carry over”

durante o fabrico de MACI, incluindo soro bovino e gentamicina.

• Osteoartrite grave do joelho.

• Artrite inflamatória, doença articular inflamatória ou coagulopatias congénitas não corrigidas.

• Doentes com uma placa de crescimento epifisária femoral que não esteja completamente fechada.

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Gerais

MACI é um implante autólogo e só deve ser administrado no doente para o qual foi fabricado. A implantação de MACI deve ser realizada durante uma artrotomia sob condições estéreis. Existe experiência limitada no que diz respeito à administração de MACI no joelho através de artroscopia, no entanto, podem ser utilizadas técnicas artroscópicas para aplicar MACI, de acordo com o critério do médico responsável pelo tratamento.

Precauções de utilização

O procedimento deve ser temporariamente adiado para doentes com inflamações locais ou infeções ativas no osso, na articulação ou nos tecidos moles circundantes até que seja comprovada a sua recuperação.

No estudo principal com MACI, foram excluídos os doentes que apresentavam antecedentes de

esforços de rotação na articulação.

Suspended

osteoartrite (Grau 3 ou 4 na Escala de KellgrenLawrence) no joelho-alvo ou doença inflamatória concomitante.

Para criar um ambiente favorável de recuperação, as patologias concomitantes devem ser tratadas antes ou de forma concorrente com a implantação de MACI. Estas incluem:

• Patologia meniscal: menisco instável ou rasgado que requer reparação, substituição ou meniscectomia parcial. MACI não é recomendado em doentes submetidos a uma meniscectomia total excepto se a deficiência meniscal puder ser tratada com um enxerto faseado ou concorrente do menisco.

• Instabilidade do ligamento cruzado: a articulação não deve ter falta de firmeza excessiva. Os ligamentos cruzados anterior e posterior devem estar estáveis ou devem

ser submetidos a uma reconstrução para reduzir as forças de resistência à tração e os

• Desalinhamento:Authorisationa articulação tibiofemoral deve estar devidamente alinhada. Uma carga em varo ou valgo anormal da articulação tibiofemoral pode comprometer o

implante, devendo esta situação ser tratada com uma osteotomia corretiva ou procedimento similar. Aquando do tratamento de defeitos trocleares e rotulianos, a localização anormal da rótula deve ser corrigida antes ou de forma concorrente com a implantação de MACI.

A hemartrose pós-operatória ocorre principalmente em doentes com uma predisposição para hemorragias ou um controlo hemorrágico cirúrgico insuficiente. As funções hemostáticas do doente devem ser avaliadas antes da cirurgia. Deverá ser administrada tromboprofilaxia, em conformidade com as diretrizes locais.

As diretrizes de tratamento locais relativamente à utilização de profilaxia com antibióticos numa

cirurgia ortopédica devem ser seguidas.

MarketingDevido a experiência limitada, não se recomenda a utilização de MACI noutras articulações que não o joelho.

MACI é expedido após um ensaio rápido de esterilidade microbiana validado, para determinar a ausência de crescimento microbiano. Os resultados finais do teste de esterilidade não estão disponíveis aquando da expedição. No caso de serem obtidos resultados de esterilidade positivos, o médico responsável pelo tratamento será contactado para decidir se deve optar pelo cancelamento da implantação ou pela implementação de um plano de ação com base nas circunstâncias específicas do doente e na avaliação do risco.

Casos em que MACI não pode ser fornecido

Reabilitação

Recomenda-se a realização de fisioterapia controlada, incluindo mobilização antecipada, exercícios de amplitude de movimentos e suporte de pesos parcial assim que possível para promover a maturação do enxerto e reduzir o risco de acontecimentos tromboembólicos pós-operatórios e a rigidez articular.

Após a implantação, o doente deve seguir um programa de reabilitação faseado e devidamente

controlado, conforme recomendado pelo médico responsável pelo tratamento com base no Manual de Reabilitação do MACI. Este programa de reabilitação deverá incluirSuspendedatividade física específica ou

faseada para minimizar a probabilidade de ocorrência de artrofibrose e suporte de pesos parcial e gradual. O regresso à prática de atividades desportivas deverá ser personalizado e de acordo com o conselho dos profissionais de saúde.

Em alguns casos, é possível que os condrócitos de origem do doente não sejam expansíveis ou que não se cumpram os critérios de libertação (ver secção 6.6) devido a fraca qualidade da biopsia, a caraterísticas do doente ou a um defeito de fabrico. Por conseguinte, podem haver situações em que o MACI não pode ser fornecido.

4.5 Interações medicamentosas e outras formas de interação

Não devem ser utilizadosAuthorisationselantes de fibrina que contenham formaldeído com o MACI, uma vez que o formaldeído é citotóxico para os condrócitos.

Embora se recomende a utilização de medicação analgésica oral para o alívio da dor pós-cirúrgica, a administração intra-articular de analgésicos não é recomendada, uma vez que os estudos realizados mostraram a ocorrência de efeitos adversos na cartilagem articular e nos condrócitos decorrentes da exposição.

4.6 Fertilidade, gravidez e aleitamento

Gravidez

Os dados clínicos disponíveis sobre as gravidezes expostas são limitados. Os estudos convencionais de toxicidade reprodutiva e do desenvolvimento não são considerados relevantes, tendo em conta a natureza e a utilização clínica prevista do medicamento. Dada a natureza local do medicamento, não é de prever reações adversas do MACI na gravidez. No entanto, como o MACI é implantado utilizando

técnicas cirúrgicas invasivas, não é recomendado durante a gravidez. MarketingAmamentação

Não estão disponíveis dados sobre a utilização de MACI durante a amamentação. Dada a natureza local do medicamento, não são de prever reações adversas do MACI nos lactentes. No entanto, como o MACI será implantado utilizando técnicas cirúrgicas invasivas, tem que ser tomada uma decisão sobre a descontinuação ou não da amamentação, tendo em conta o benefício da terapêutica para a mulher e o risco para o bebé.

Fertilidade

Não estão disponíveis dados sobre possíveis efeitos do tratamento de MACI na fertilidade.

4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Devido à natureza cirúrgica do procedimento subjacente, a implantação com MACI tem uma grande influência na capacidade de conduzir e utilizar máquinas. Durante o período de reabilitação que se segue ao tratamento com MACI, os doentes devem consultar o médico responsável pelo seu tratamento e seguir os seus conselhos.

Relacionados com MACI:

4.8 Efeitos indesejáveis

Resumo do perfil de segurança

Com base na exposição de mais de 6000 doentes ao tratamento com MACI no joelho, poderão surgir complicações relacionadas com o procedimento de artrotomia, complicações gerais relacionadas com

a intervenção cirúrgica, outra patologia do joelho (tais como patologias do menisco e ligamentares) ou

Hemartrose

Suspended

com a realização da biopsia. No geral, as complicações relacionadas com a cirurgia ao joelho também podem incluir trombose venosa profunda e embolia pulmonar. Foram identificadas outras complicações como estando causalmente relacionadas com MACI. Os riscos significativos que se seguem foram identificados como estando relacionados com o MACI ou com complicações perioperatórias:

Hipertrofia sintomática do enxerto

Delaminação do enxerto (completa ou parcial, conduzindo possivelmente a corpos livres na articulação ou à falha do enxerto)

Complicações perioperatórias relacionadas com a intervenção cirúrgica do joelho:

ArtrofibroseAuthorisation

Inflamação localizada no local da cirurgia

Infecção localizada no local da cirurgia

Acontecimentos tromboembólicos

Lista em forma tabelar das reações adversas

As reações adversas encontram-se listadas por Classe de Sistemas de Órgãos e por frequência. As frequências são definidas de acordo com a seguinte convenção: muito frequentes (≥ 1/10); frequentes (≥ 1/100 a < 1/10); pouco frequentes (≥ 1/1000 a < 1/100); raras (≥ 1/10.000 a < 1/1000); muito raras (< 1/10.000).

Marketing

 

Classe de Sistemas de Órgãos

Pouco frequentes

Raras

 

 

 

 

 

Infeções e infestações

 

Artrite infeciosa

 

 

 

Infeção da ferida

 

 

 

Infeção localizada

 

Afeções musculosqueléticas e

 

Artrofibrose

 

dos tecidos conjuntivos

 

Suspended

 

 

Sinovite

 

 

 

Tendinite

 

 

 

Hemartrose

 

 

 

Artralgia

 

 

 

Efusão articular

 

 

 

Tumefação articular

 

 

 

Rigidez articular

 

 

 

Edema ósseo

 

 

 

Redução da amplitude dos movimentos

 

 

 

articulares

 

Perturbações gerais e

 

Inflamação

 

alterações no local de

 

Hipertermia

 

administração

 

Pirexia

 

 

Authorisation-se ao desprendimento, parcial

Edema no local de implante

 

A delaminação do enxerto refere

ou total, do enxerto do osso

 

Exames complementares de

 

Proteína C reativa aumentada

 

diagnóstico

 

 

 

Complicações de intervenções

Delaminação do enxerto

Perda do enxerto

 

relacionadas com lesões e

Complicação do enxerto

Lesão da cartilagem

 

intoxicações

Hipertrofia do enxerto

 

 

 

 

 

 

Descrição de reações adversas selecionadas

 

 

Delaminação do enxerto:

 

 

Marketing

 

 

subcondral e da cartilagem circundante. A delaminação total do enxerto é uma complicação grave e o doente poderá sentir bloqueio, dor e inchaço após uma distorção aguda do joelho.

Os fatores de risco para a delaminação de enxerto podem incluir, entre outros, seleção inadequada do doente, fraca adesão à técnica cirúrgica recomendada, a incapacidade de tratar patologias concomitantes, cumprimento deficiente do protocolo de reabilitação ou traumatismo pós-operatório do joelho.

Hipertrofia do enxerto:

A hipertrofia sintomática do enxerto é uma complicação que pode acontecer com MACI.

Os sintomas podem incluir sensação de articulação presa ou dor. Desconhece-se a existência de grupos de risco ou fatores de risco específicos para a hipertrofia do enxerto em doentes tratados com MACI. Os doentes podem necessitar de desbridamento do tecido hipertrófico através de artroscopia.

Não aplicável.

Notificação de suspeitas de reacções adversas

A notificação de reacções adversas após a autorização do medicamento é importante, uma vez que permite uma monitorização contínua da relação benefício-risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reacções adversas através do sistema nacional de notificação mencionado no Apêndice V.

4.9 Sobredosagem

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Não foram realizados estudos farmacológicos clínicos com MACI. As evidências clínicas e não

Grupo farmacoterapêutico: Outros medicamentos para afeções do sistemaSuspendedmusculosquelético, código ATC: M09AX02

clínicas atuais sugerem que a administração de condrócitos autólogos utilizando a membrana de colagénio promove a proliferaçãoAuthorisatione a re-diferenciação das células cultivadas, podendo resultar na síntese de tecido de reparação de cartilagem do tipo hialino.

MACI foi investigado num ensaio paralelo, aleatorizado, de regime aberto realizado em 144 doentes com defeitos focais da cartilagem do joelho de Grau III ou IV na Escala de Outerbridge de 3-20 cm2 (mediana de 4 cm2). Setenta e dois doentes receberem MACI e 72 foram tratados com microfratura. A idade média dos doentes foi 34 a 35 anos (faixa etária: de 18 a 54), e o índice médio de massa corporal foi 26. A maioria dos doentes tinha sido submetido a pelo menos 1 cirurgia prévia ortopédica do joelho. O MACI foi superior, quando comparado com a microfratura, no que diz respeito à melhoria da dor e funcionamento de acordo com a escala KOOS (Knee Injury and Osteoarthritis Outcome Score). Ver as taxas de respondedores na Tabela 1 a seguir.

Quatro doentes foram considerados insucessos do tratamento no braço de tratamento com microfratura versus um no braço de tratamento com MACI. Não foram observadas diferenças significativas nos marcadores estruturais da reparação cartilagínea entre os dois tratamentos, conforme avaliado pelos índices histológicos de avaliação global da International Cartilage Repair Society (ICRS) II de biopsias e pelos índices de enchimento de defeitos de RM.

Tabela 1: Taxa de resposta KOOS*: Conjunto de análises completo

 

 

MACI

Microfratura

 

 

n (%)

N=72

N=72

Valor p

 

Consulta 10 (Semana 104)

 

 

 

 

 

 

Estratificados por centro

 

 

 

 

 

 

Responderam

(87,50)

(68,06)

0,016

 

Não responderam

9 (12,50)

(27,78)

 

 

Em falta

 

(4,17)

 

 

Consulta 10 (Semana 104) Não

 

 

 

 

 

 

estratificados

 

 

 

 

 

Marketing

(86,11)

(66,67)

0,011

 

Responderam

 

Não responderam

(9,72)

(25,00)

 

 

Em falta

(4,17)

(8,33)

 

* Taxa de resposta KOOS: O respondedor é definido como uma melhoria na escala Knee Injury and

Osteoarthritis Outcome Score a partir da linha de base de, no mínimo, 10 pontos numa escala de 100.

População pediátrica

A Agência Europeia de Medicamentos diferiu a obrigação de apresentação dos resultados dos estudos com MACI em doentes pediátricos, desde o fecho da placa de crescimento epifisária femoral até uma idade inferior a 18 anos. Ver secção 4.2 para informação sobre utilização pediátrica.

5.2 Propriedades farmacocinéticas

Não foram realizados estudos farmacocinéticos clínicos convencionais com MACI. O comportamento farmacocinético de MACI está relacionado com a reabsorção da membrana de colagénio, um processo proteolítico efetuado pelas células que se encontram na proximidade dos defeitos. A membrana é reabsorvida durante os meses seguintes à implantação.

5.3 Dados de segurança

pré-clínica

Os dados não clínicos baseados na implantação de MACI em coelhos e cavalos não revelaram riscos especiais para o ser humano.

As investigações não clínicas realizadas in vitro demonstraram que a membrana de colagénio é não citotóxica, não mutagénica, não reativa (implantação a curto e a longo prazo), não sensibilizante, um

irritante negligenciável e não tóxica (sistémica aguda).

Suspended

Um estudo realizado emAuthorisationcoelhos demonstrou que, 3 meses após a implantação, estava presente uma quantidade mínima de células inflamatórias na proximidade do defeito, com condrogénese variável.

Num estudo realizado em cavalos, foram observados, aos 3 meses, sinais de uma resposta inflamatória minor, caraterizada por um ligeiro aumento do volume de líquido sinovial e uma ligeira acumulação de tecido linfoide na membrana sinovial. Aos 6 meses, verificou-se uma diminuição destes sinais, resultando num aspeto sinovial normal. Não foram detetadas quaisquer indicações de reação inflamatória importante.

6. INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1 Lista dos excipientes

Meio de Eagle modificado por Dulbecco (DMEM; Cloreto de cálcio anidro, Nitrato férrico.9H2O,

Cloreto de potássio, Sulfato de magnésio anidro, Cloreto de sódio, Bicarbonato de sódio, Fosfato de MarketingHistidina.HCl.H2O, L-Isoleucina, L-Leucina, L-Lisina.HCl, L-Metionina, L-Fenilalanina, L-Serina, L-

potássio monobásico.H2O, D-Glicose, L-Arginina.HCl, L-Cistina.2HCl, L-Glutamina, Glicina, L-

Treonina, L-Triptofano, L-Tirosina.2Na.2H2O, L-Valina, D-Pantotenato de cálcio, Cloreto de colina, Ácido fólico, i-Inositol, Niacinamida, Riboflavina, Tiamina.HCl, Piridoxina.HCl) com sal sódico do ácido 4-(2-hidroxietil)piperazina-1-etanossulfónico (HEPES) ajustado quanto ao pH com HCl ou NaOH e quanto à osmolalidade com NaCl.

6.2 Incompatibilidades

Na ausência de estudos de compatibilidade, este medicamento não deve ser misturado com outros medicamentos.

6.3 Prazo de validade

6 dias.

6.4 Precauções especiais de conservação

Manter o MACI na embalagem exterior até estar pronto para utilizar. Não refrigerar ou congelar. Conservar a caixa de transporte numa área com uma temperatura inferior a 37ºC.

6.5 Natureza e conteúdo do recipiente e equipamento especial para utilização, administração

ou implantação

Suspended

 

O MACI é expedido em placas de poliestireno transparentes, estéreis e seladas, concebidas sob medida.

Cada placa contém 1 matriz para implantação, mantida no lugar por um x-ring de policarbonato verde e fechado com uma tampa em policarbonato verde para expedição.

Cada placa é fornecida selada num saco de plástico transparente submetido a radiação gama.

O MACI é fornecido em 1 a 2 placas, que são colocadas numa bolsa de 95 kPa (bolsa exterior) com material absorvente para transporte.

Este pacote é acondicionado numa embalagem exterior isolada com pacotes de gel à temperatura

ambiente.

6.6 Precauções especiaisAuthorisationde eliminação e manuseamento

Durante o primeiro procedimento, será colhida uma amostra de tecido cartilagíneo saudável (biopsia) da articulação afetada através de artrotomia ou artroscopia.

A biopsia será enviada para a instituição de processamento de células. Na instituição de processamento de células, as células de cartilagem irão crescer asseticamente em meio de cultura, para expandir o número de células, e serão colocadas numa membrana de colagénio estéril de tipo I/III, com a marcação CE e de origem porcina, para produzir o MACI. O MACI será libertado após a obtenção de resultados bem-sucedidos nos ensaios que avaliam a viabilidade, identidade, potência, número mínimo de células, endotoxinas, esterilidade pré-libertação e presença de micoplasma dos condrócitos.

O MACI será enviado para a instituição responsável pelo tratamento. O MACI é então implantado no

defeito cartilagíneo na articulação afetada através de um segundo procedimento. O implante MACI Marketingserá fixado no lugar utilizando um selante de fibrina.

O período de tempo entre a colheita de tecido para biopsia e a implantação de MACI pode variar dependendo de fatores logísticos, para além da qualidade e número das células obtidas a partir da biopsia. O período de tempo mínimo é de 6 semanas; no entanto, as células também podem ser criopreservadas e conservadas por um período até 24 meses até a data da cirurgia ser marcada.

O cirurgião irá organizar a data da implantação de MACI juntamente com o Titular da Autorização de Introdução no Mercado ou o seu representante local. Em casos raros, o Titular da Autorização de Introdução no Mercado não poderá produzir um implante MACI a partir das células disponíveis. Se isto ocorrer, o cirurgião aconselhará o doente sobre qual a melhor opção a tomar.

Qualquer medicamento não utilizado ou resíduos devem ser eliminados como resíduos cirúrgicos, de acordo com as exigências locais.

Consulte o Manual de Técnica Cirúrgica para obter mais informações.

7. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Vericel Denmark ApS

Amaliegade 10

DK-1256 Copenhaga K

Dinamarca

8.

 

Suspended

NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EU/1/13/847/001

 

9.

DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE

 

INTRODUÇÃO NO MERCADO

 

Data da primeira autorização: 27 de Junho de 2013

10.DATA DA REVISÃO DO TEXTO

 

Authorisation

Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet da Agência

Europeia de Medicamentos: http://www.ema.europa.eu.

Marketing

 

 

Comentários

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
  • Ajuda
  • Get it on Google Play
  • Acerca
  • Info on site by:

  • Presented by RXed.eu

  • 27558

    Medicamentos para prescrição listados