Portuguese
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Panretin (alitretinoin) – Resumo das características do medicamento - L01XX22

Updated on site: 09-Oct-2017

Nome do medicamentoPanretin
Código ATCL01XX22
Substânciaalitretinoin
FabricanteEisai Ltd

1.NOME DO MEDICAMENTO

Panretin 0,1% gel

2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

1 g de gel contém 1 mg de alitretinoína (0,1%).

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.FORMA FARMACÊUTICA

Gel

Gel amarelo transparente

4.INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1Indicações terapêuticas

O Panretin gel é indicado para o tratamento tópico de lesões cutâneas em doentes com sarcoma de Kaposi (SK) relacionado com a SIDA quando:

-as lesões não estão ulceradas ou linfoedematosas, e

-não é necessário o tratamento de SK visceral, e

-as lesões não estão a responder a terapêutica anti-retroviral sistémica, e

-a radioterapia ou a quimioterapia não são apropriadas

4.2Posologia e modo de administração

Posologia

A terapêutica com Panretin só deverá ser iniciada e mantida por médicos especialistas com experiência no tratamento de doentes com SK.

Homens

Os doentes deverão aplicar Panretin nas lesões cutâneas provocadas pelo SK utilizando gel suficiente de modo a cobrir cada lesão com uma camada abundante.

Frequência de aplicação

Inicialmente, os doentes devem aplicar Panretin nas lesões cutâneas provocadas pelo SK duas vezes por dia. A frequência de aplicação pode ser aumentada gradualmente até três ou quatro vezes por dia de acordo com a tolerância de cada lesão, espaçando os aumentos de dosagem em pelo menos duas semanas. A frequência de aplicação em cada lesão deve ser ajustada independentemente. Se ocorrer toxicidade no local de aplicação, a frequência de aplicação pode ser reduzida como descrito em baixo. Não existem dados sobre a eficácia do Panretin aplicado com uma frequência inferior a duas vezes por dia.

A irritação dérmica local pode ser classificada de acordo com a escala de cinco pontos apresentada no Quadro 1. As normas orientadoras para os ajustes do tratamento que são necessários devido a toxicidade dérmica local relacionada com o tratamento estão especificadas no Quadro 2.

Quadro 1: Classificação da irritação dérmica local

GRAU

SINAIS CLÍNICOS DETERMINANTES

= Nenhuma reacção

Nenhum

= Ligeira

Coloração nítida de cor-de-rosa a vermelha

= Moderada

Vermelhidão aumentada, possível edema

= Grave

Muito vermelha, com edema, com ou sem vesiculação

= Muito grave

Vermelha escura, tumefacção e edema, com ou sem sinais de formação

 

 

de bolhas e necrose

Quadro 2: Normas orientadoras de ajuste devido a toxicidade limitativa do tratamento

IRRITAÇÃO DÉRMICA LOCAL

 

(Classificada de acordo com o

AJUSTAMENTOS DO TRATAMENTO

Quadro 1)

 

Grau 0, 1 ou 2

Nenhuma acção necessária excepto monitorização continuada.

Grau 3

A frequência do tratamento dessa lesão deverá ser reduzida ou

 

o tratamento interrompido. Quando a irritação dérmica

 

melhorar para Grau 0 ou 1, o tratamento poderá ser reiniciado

 

duas vezes por dia, aumentando de duas em duas semanas,

 

quando tolerado.

Grau 4

Como no caso de irritação de Grau 3. No entanto, o

 

tratamento não deverá ser reiniciado se se tiver verificado

 

toxicidade de Grau 4 com uma frequência de aplicação

 

inferior a duas vezes por dia.

Duração da aplicação

Recomenda-se a aplicação de Panretin nas lesões durante um período inicial até 12 semanas.

O tratamento de lesões que não tenham diminuído em área e/ou em altura até à 12ª semana deverá ser interrompido.

Nas lesões que tenham diminuído em área e/ou em altura até à 12ª semana, as aplicações poderão continuar desde que se verifique uma melhoria continuada ou, pelo menos, continuação da resposta, e que o produto continue a ser tolerado.

O tratamento de qualquer lesão que esteja completamente curada aquando da avaliação clínica deverá ser interrompido.

Precauções a ter em conta antes de manusear ou administrar o medicamento

Os doentes devem lavar as mãos antes e após cada aplicação; não é necessário usar luvas. Deve permitir-se que o gel seque durante cerca de três a cinco minutos antes de se cobrir com vestuário. Devem evitar-se pensos oclusivos.

Deve ter-se cuidado de modo a evitar a aplicação de gel na pele normal em redor das lesões.

O gel não deve ser aplicado nos olhos ou na sua proximidade ou em superfícies mucosas do corpo. Deve evitar-se o duche, o banho ou a natação pelo menos durante três horas após cada aplicação.

Mulheres

A segurança e a eficácia na mulher não foram estabelecidas devido à escassez de dados clínicos. O sarcoma de Kaposi relacionado com a SIDA é raro na mulher.

População pediátrica

A segurança e eficácia de Panretin gel em crianças com menos de 18 anos de idade não foram ainda estabelecidas.

Não existem dados disponíveis.

Panretin não está aprovado para utilização em crianças e adolescentes com menos de 18 anos de idade.

Homens idosos

Não existem quaisquer recomendações de utilização específicas no homem idoso (idade superior a 65 anos). O sarcoma de Kaposi relacionado com a SIDA é raro nesta população.

Compromisso renal ou hepático

Não existem dados relativos à utilização de Panretin gel em doentes com compromisso renal ou doença hepática. Os estudos farmacocinéticos indicam que o intervalo e a frequência de detecção de concentrações plasmáticas quantificáveis de ácido 9-cis-retinóico em doentes com SK após aplicação do medicamento foram comparáveis ao intervalo e à frequência de detecção de concentrações plasmáticas quantificáveis de ácido 9-cis-retinóico, ocorrendo normalmente, na circulação em indivíduos não tratados (ver secção 5.2). Teoricamente, não é necessário qualquer ajuste na dose em doentes com compromisso renal ou doença hepática, mas estes doentes devem ser monitorizados rigorosamente e a frequência do tratamento reduzida, ou o tratamento interrompido, caso se verifiquem reacções adversas.

4.3 Contra-indicações

Hipersensibilidade aos retinóides em geral, à alitretinoína ou a qualquer um dos excipientes.Gravidez e amamentação (ver secção 4.6).

Tratamento de lesões provocadas por SK muito próximas de outras afecções cutâneas.

4.4 Advertências e precauções especiais de utilização

Os retinóides, como classe, têm sido associados a fotossensibilidade. Não se verificaram quaisquer relatos de fotossensibilidade associada à utilização do Panretin gel nos estudos clínicos. No entanto, os doentes devem ser avisados no sentido de minimizarem a exposição das áreas tratadas à luz solar ou a outra luz ultravioleta (UV) (ver secção 5.3).

Recomenda-se que a dose diária de vitamina A ingerida não exceda o valor da Dose Diária Recomendada.

A alitretinoína pode provocar efeitos nefastos no feto. Durante o tratamento com Panretin gel, e até um mês após a sua interrupção, as mulheres com potencial para engravidar devem utilizar um método contraceptivo fiável (ver secção 4.6).

4.5Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

A utilização de outros produtos tópicos em lesões provocadas por SK tratadas com Panretin deve ser evitada. O óleo mineral pode ser utilizado entre aplicações de Panretin de modo a contribuir para evitar secura excessiva ou prurido. No entanto, o óleo mineral não deve ser aplicado pelo menos duas horas antes ou após a aplicação de Panretin.

Não se recomenda a aplicação de Panretin gel concomitantemente com outros produtos contendo N,N- dietil-m-toluamida (DEET), um componente vulgar de produtos repelentes de insectos. Estudos de toxicologia animal revelaram o aumento da toxicidade da DEET quando esta estava incluída na formulação.

O intervalo e a frequência de detecção de concentrações plasmáticas quantificáveis de ácido 9-cis- retinóico em doentes com SK aplicando o medicamento a um número máximo de 64 lesões foram comparáveis aos valores respectivos em doentes não tratados. Por conseguinte, existe um baixo potencial de interacção com medicamentos sistémicos.

Não se verificou qualquer evidência clínica nos estudos controlados por veículo de interacções medicamentosas com agentes anti-retrovirais sistémicos,incluindo inibidores de protease, antibióticos macrólidos e antifúngicos azólicos. Embora não existam dados disponíveis, é possível que a co-

administração de medicamentos que induzam isoenzimas CYP possa reduzir os níveis de alitretinoína na circulação, com um possível efeito negativo sobre a eficácia do Panretin gel.

4.6Fertilidade, gravidez e aleitamento

Mulheres com potencial para engravidar

As mulheres com potencial para engravidar têm de utilizar métodos contraceptivos eficazes durante e até 1 mês após o tratamento.

Os homens que utilizem Panretin devem tomar precauções para assegurar que as suas parceiras não engravidam.

Gravidez

Panretin está contra-indicado (ver secção 4.3) durante a gravidez, uma vez que a alitretinoína pode causar efeitos nefastos no feto quando administrada sistemicamente a mulheres grávidas. Foi demonstrado, em coelhas, que a alitretinoína era teratogénica em doses iguais a cerca de 60 vezes a concentração plasmática mais elevada observada em doentes do sexo masculino com SK após aplicação tópica do gel. No entanto, actualmente não é certo até que ponto o tratamento tópico com Panretin gel poderá aumentar as concentrações plasmáticas de ácido 9-cis-retinóico acima dos níveis que ocorrem naturalmente em mulheres com SK; por conseguinte, a alitretinoína não deve ser utilizada em mulheres grávidas.

Amamentação

Desconhece-se se este medicamento é excretado no leite humano. Com base nas concentrações plasmáticas observadas em doentes, possivelmente as concentrações de ácido 9-cis-retinóico no leite representam um risco baixo para o lactente. No entanto, devido ao potencial para efeitos indesejáveis do Panretin gel em lactentes, a mãe deverá interromper a amamentação antes de iniciar a utilização do medicamento e não iniciar a amamentação estando a utilizá-lo.

Deverá ter-se cuidado de modo a evitar o contacto cutâneo do recém-nascido com áreas onde foi recentemente aplicado Panretin gel. É recomendado que as mães infectadas com o vírus VIH não amamentem os seus filhos de modo a impedir a transmissão do vírus.

Fertilidade

Não foram realizados estudos específicos relativamente à fertilidade masculina e feminina. No entanto, a alitretinoína é teratogénica e, consequentemente, tanto os homens como as mulheres devem tomar precauções adequadas para evitar que estas últimas engravidem.

4.7Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

O Panretin gel é para utilização cutânea e é improvável que tenha qualquer efeito sobre a capacidade de conduzir ou utilizar máquinas.

4.8Efeitos indesejáveis

As reacções adversas associadas à utilização de Panretin gel no SK relacionado com a SIDA ocorreram quase exclusivamente no local de aplicação. A toxicidade dérmica começa tipicamente como eritema; com a aplicação continuada de Panretin gel, o eritema poderá crescer e desenvolver-se um edema. A toxicidade dérmica poderá tornar-se limitativa do tratamento, com eritema intenso, edema e vesiculação. Após a aplicação de Panretin gel, 69,1% dos doentes sofreram reacções adversas medicamentosas no local da aplicação.

Foram relatadas as seguintes reacções adversas no local de aplicação relacionadas com o medicamento durante estudos clínicos em doentes com SK. A frequência das reacções adversas é classificada como

Vasculopatias Frequentes:

muito frequentes (≥1/10), frequentes (≥1/100 a <1/10), pouco frequentes (≥1/1.000 a <1/100), raros ≥1/10.000 a <1/1.000), e muito raros (<1/10.000). As reacções adversas incluem termos literais entre parênteses.

Os efeitos indesejáveis são apresentados por ordem decrescente de gravidade dentro de cada classe de frequência.

Doenças do sangue e do sistema linfático

Pouco frequentes: Linfadenopatia

Doenças do sistema nervoso

Frequentes: Parestesia (picadas, formigueiro)

Hemorragia (sangramento das lesões ou em seu redor), Edema (edema, inchaço, inflamação), Edema periférico

Pouco frequentes: Flebite, Vasculopatia

Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneos

Muito frequentes: Afecção cutânea (formação de gretas, crostas, pústulas, escoriação, drenagem, exsudação), Exantema (eritema, vermelhidão, descamação, irritação, dermatite), Prurido (comichão, prurido)

Frequentes: Úlcera da pele, Exsudação serosa, Dermatite esfoliativa (escamas, descamação, esfoliação), Descoloração da pele (descoloração castanha, hiperpigmentação circundante, maior palidez), Pele seca

Pouco frequentes: Celulite, Exantema vesículo bulhoso, exantema maculopapular, Reacção alérgica

Perturbações gerais e alterações no local de administração

Muito frequentes: Dor (ardor, dor, dorido)

Pouco frequentes: Infecção, incluindo infecção bacteriana

A segurança do Panretin gel foi avaliada em estudos clínicos com mais de 469 doentes com SK relacionado com SIDA, 439 dos quais foram tratados com uma concentração de alitretinoína de 0,1%.

A incidência de afecções cutâneas, úlceras da pele, dor e exantema relacionados com o medicamento pareceu ser superior nos doentes aplicando Panretin gel quatro vezes por dia do que naqueles aplicando o medicamento menos frequentemente. No entanto, a incidência de outras reacções adversas relacionadas com o medicamento igualmente frequentes tais como prurido, edema, dermatite esfoliativa e pele seca não pareceram aumentar em função da frequência de aplicação.

A incidência de exantema ligeiro/moderado (todos os efeitos sem ter em conta a causalidade) foi inferior nos doentes tratados durante menos de 16 semanas do que naqueles tratados durante 16 semanas ou mais (ligeiro, 33% contra 63%; moderado, 29% contra 43%). A incidência de exantema cutâneo grave revelou-se independente da duração do tratamento (10% em ambos os casos).

Geralmente, a toxicidade dérmica local associada à terapêutica com Panretin gel foi eliminada com ajuste ou interrupção do tratamento (ver secção 4.2).

Foram relatadas apenas duas reacções adversas graves (sepsis e celulite, no mesmo doente).

As reacções adversas observadas com Panretin gel são semelhantes às observadas com outros retinóides tópicos. É improvável que os efeitos secundários sistémicos indesejáveis associados a retinóides orais sejam observados com a utilização do Panretin gel uma vez que o intervalo e a frequência dos níveis de concentrações plasmáticas quantificáveis de ácido 9-cis-retinóico após aplicação do medicamento foram comparáveis ao intervalo e à frequência de concentrações plasmáticas quantificáveis de ácido 9-cis-retinóico, ocorrendo naturalmente, na circulação em indivíduos não tratados.

4.9Sobredosagem

Não foi relatado qualquer caso de sobredosagem.

A toxicidade sistémica na sequência de sobredosagem aguda resultante da aplicação tópica de Panretin gel é improvável.

5.PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: outros agentes antineoplásicos, código ATC: LO1XX22

Embora se pense que a acção molecular da alitretinoína seja mediada através da interacção com os receptores retinóides, o mecanismo de acção exacto deste medicamento no tratamento tópico de lesões cutâneas provocadas pelo SK relacionado com a SIDA é desconhecido. A alitretinoína (ácido 9-cis- retinóico), uma hormona endógena relacionada com a vitamina A que ocorre naturalmente liga-se e activa todos os sub-tipos de receptores retinóides intracelulares conhecidos (RAR , RAR , RAR , RXR , RXR , RXR ). Uma vez activados, estes receptores funcionam como factores de transcrição dependente de ligandos que regulam a expressão de genes específicos. A regulação da expressão génica pela alitretinoína controla o processo de diferenciação e proliferação celulares tanto das células normais como das neoplásicas. A eficácia do Panretin gel no tratamento de lesões provocadas pelo SK poderá relacionar-se com a capacidade demonstrada pela alitretinoína em inibir o crescimento in vitro de células com SK.

Pode esperar-se que o Panretin gel tenha apenas efeitos terapêuticos locais, e não desempenha qualquer papel na prevenção ou tratamento de SK visceral.

Dois estudos controlados, multicêntricos, aleatorizados, de grupos paralelos, em dupla ocultação de Fase III forneceram os dados relativos à utilização do Panretin gel no tratamento de lesões cutâneas indicadoras do SK (Quadro 3). A taxa de resposta dos doentes foi avaliada utilizando os critérios do Grupo de Ensaios Clínicos da SIDA (AIDS Clinical Trials Group - ACTG) para resposta das lesões no SK. O Estudo 1 incluiu uma fase aberta, na qual os próprios doentes decidiram inscrever-se. O Estudo 2 foi seguido de um estudo aberto (Estudo 2a), que incluiu apenas os doentes que decidiram continuar do Estudo 2.

Quadro 3: Melhor resposta de acordo com os critérios do ACTG para a fase controlada por veículo

 

Estudo 1 (TID, QID)1

Estudo 2 (BD)2

 

Panretin

Veículo

Panretin

Veículo

 

N= 134

N=134

N=62

N=72

Resposta Clínica

0,7

0,0

1,6

0,0

Completa %

 

 

 

 

Resposta Parcial %

34,3

17,9

35,5

6,9

 

 

 

 

 

Doença Estável %

50,0

59,0

43,5

58,3

 

 

 

 

 

Doença Progressiva %

14,9

23,1

19,4

34,7

 

 

 

 

 

Total de Resposta %

35,1

17,9

37,1

6,9

 

 

p=0,002

 

p= 0,00003

1.A posologia especificada pelo protocolo foi a aplicação três vezes por dia (TID) aumentando para quatro vezes por dia (QID) após duas semanas, com ajustes decrescentes devido a toxicidade

2.A posologia especificada pelo protocolo foi a aplicação duas vezes por dia (BD) apenas, com ajustaes decrescentes devido a toxicidade

Na fase aberta do Estudo 1 (N = 184), a taxa total de resposta aumentou para 66,7%. No Estudo 2a (N = 99), a taxa total de resposta aumentou para 56,1%.

No Estudo 1, dos 110 doentes com resposta, 36 (33%) sofreram recidivas, enquanto que todos, à excepção de quatro, ainda se encontram em tratamento activo

As taxas de resposta foram analisadas tanto considerando o doente como a unidade de análise e a lesão. O Quadro 4 apresenta as taxas de resposta das lesões individuais dos doentes tratados com Panretin gel nos estudos da Fase III.

Quadro 4: Respostas das lesões de índice/indicadoras1 nos doentes durante as primeiras 12 semanas do estudo na fase inicial em ocultação

 

Doentes com um dado número de respostas das lesões de índice/indicadoras

 

(Resposta Clínica Completa ou Resposta Parcial)

 

 

Estudo 1

 

Estudo 2

 

Número de lesões

Panretin

Veículo

Panretin

Veículo

com

(N=134)

(N=134)

(N=62)

(N=72)

resposta 2,3

N %4

N %4

N %4

N %4

Pelo menos uma

73 (54,5%)

(31,3%)

33 (53,2%)

(29,2%)

Pelo menos quatro

27 (20,1%)

(6,0%)

8 (12,9%)

(2,8%)

1.Estudo 1, 6 lesões de índice; Estudo 2, até 8 lesões de índice

2.Cada lesão de índice avaliada individualmente para determinação da resposta

3.Lesões respondendo durante as primeiras 12 semanas do estudo, fase inicial em ocultação, confirmadas durante pelo menos quatro semanas do estudo (no caso de algumas lesões no Estudo 1, a confirmação da resposta poderá ter ocorrido após 12 semanas).

4.Percentagens calculadas como o número de doentes com lesões com resposta dividido pelo número total de doentes na fase inicial em ocultação.

Num ensaio, 29% das lesões que tinham atingido uma resposta parcial, mas que não tinham obtido uma resposta clínica completa dentro das primeiras 12 semanas de tratamento desenvolveram uma resposta clínica completa durante o tratamento continuado para além das 12 semanas. O tempo previsto para que as lesões que tinham apresentado uma resposta parcial atingissem posteriormente uma resposta clínica completa foi de 168 dias. Recomenda-se que o Panretin gel seja aplicado durante um período de tratamento inicial até 12 semanas. Nos casos em que as lesões tenham respondido ao tratamento durante este período, a aplicação poderá ser prolongada desde que a resposta melhore, ou se mantenha, e que o medicamento continue a ser tolerado. Se ocorrer uma resposta completa de uma lesão, não deverá ser efectuada qualquer aplicação adicional de Panretin gel nessa lesão.

Não existem dados relativamente à eficácia do Panretin gel quando aplicado a lesões com complicações (por exemplo, existência de linfoedema).

5.2Propriedades farmacocinéticas

As concentrações plasmáticas de ácido 9-cis-retinóico foram avaliadas durante estudos clínicos em doentes com lesões cutâneas provocadas pelo SK relacionado com a SIDA após aplicação repetida da dose de Panretin gel várias vezes por dia durante 60 semanas no máximo. Um subconjunto destes doentes foi acompanhado durante o tratamento de 64 lesões no máximo (intervalo de 4-64, mediana de 11,5 lesões) durante 44 semanas no máximo (intervalo de 2-44, mediana de 15 semanas). Neste último grupo, o intervalo e a frequência de detecção de concentrações plasmáticas quantificáveis de ácido 9- cis-retinóico em doentes com SK após a aplicação do medicamento foram comparáveis ao intervalo e à frequência de detecção de concentrações plasmáticas quantificáveis de ácido 9-cis-retinóico, ocorrendo naturalmente, na circulação em indivíduos não tratados.

5.3Dados de segurança pré-clínica

Toxicologia

Três doses de alitretinoína (0,01%, 0,05%, ou 0,5%) numa formulação de gel tópico foram administradas a ratos durante um estudo de toxicologia dérmica com uma duração de 28 dias. Os efeitos observados no local da aplicação incluíram eritema, espessamento da epiderme, descamação e perda do estrato córneo. Avaliações de patologia clínica revelaram aumentos significativos nas contagens absolutas de leucócitos polimorfonucleares, nas contagens de monócitos, na percentagem de monócitos e diminuições na percentagem de linfócitos nas contagens diferenciais de glóbulos brancos no 29º dia nos ratos tratados com gel com 0,5% de alitretinoína. As avaliações da química clínica revelaram aumentos significativos biologicamente relevantes dos valores médios do BUN (azoto ureico sanguíneo) e da fosfatase alcalina em fêmeas após o tratamento de 28 dias. O LDL sérico estava aumentado tanto nos grupos dos machos como das fêmeas ao 29º dia. Não se verificaram diferenças hematológicas ou diferenças na química sérica biologicamente relevantes após o período de 14 dias. Os aumentos observados nas diferenças médias entre o peso do coração e o peso corporal final foram atribuídos principalmente à diferença nos pesos corporais finais. Após o tratamento com gel com 0,5% de alitretinoína, as concentrações plasmáticas médias nos ratos fêmea foram geralmente mais baixas do que o limite inferior de quantitação (5 nMol) e as concentrações plasmáticas médias nos ratos macho foram de cerca de 200 nMol. Em contraste com estes achados em ratos, as concentrações plasmáticas de ácido 9-cis-retinóico em doentes com SK aplicando Panretin gel nunca excederam 0,638 ng/ml (2,13 nMol). Este nível é cerca de 1/100 da concentração média medida em ratos macho.

Genotoxicidade

Foi estudado o potencial genotóxico da alitretinoína utilizando o teste de Ames, o ensaio in vivo em micronúcleo de ratinhos, o teste de aberração cromossómica em linfócitos humanos, e o teste de mutação de células CHO (células do ovário do hamster chinês). O medicamento não se revelou genotóxico.

Carcinogénese, mutagénese, diminuição da fertilidade

Não foram efectuados estudos de modo a determinar o potencial carcinogénico da alitretinoína. No entanto, o potencial mutagénico foi avaliado e a alitretinoína apresentou resultados negativos no teste de Ames, no ensaio in vivo em micronúcleo de ratinhos, no ensaio de aberração cromossómica em linfócitos humanos, e no teste de mutação de células CHO (células do ovário do hamster chinês).

Teratogenicidade

Num estudo de determinação de intervalos de doses orais em coelhos, a alitretinoína induziu malformações importantes com uma dose 35 vezes a dose tópica humana. Nos coelhos, esta dose resultou em concentrações plasmáticas equivalentes a mais de 60 vezes a concentração plasmática mais elevada em doentes com SK após aplicação tópica de Panretin gel. Não foram observadas quaisquer malformações importantes após administração oral a coelhos de doses equivalentes a 12 vezes a dose tópica humana (as quais resultaram em concentrações plasmáticas equivalentes a 60 vezes a concentração plasmática mais elevada em doentes com SK após aplicação tópica do gel). No entanto, foi observada uma taxa de esternebras fundidas aumentada.

Fototoxicidade

O potencial de fototoxicidade da alitretinoína foi avaliado com base nas suas propriedades químicas e em dados de uma bateria de ensaios in vitro. Os resultados sugerem que a alitretinoína absorve luz na gama UV e está sujeita a fotodegradação para outros isómeros (predominantemente ácido trans- retinóico). Foi demonstrado que a alitretinoína possui um potencial de foto-irritação baixo baseada na ligação à histidina e à fotoproteína. Nos ensaios com base celular in vitro, a alitretinoína revelou potencial fototóxico baixo.

6.INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1Lista dos excipientes

Etanol

Macrogol 400

Hidroxipropilcelulose

Butilhidroxitolueno

6.2Incompatibilidades

Na ausência de estudos de compatibilidade, este medicamento não deve ser misturado com outros medicamentos. Deve evitar-se a utilização de outros produtos tópicos em lesões provocadas pelo SK. O Panretin gel não deve ser utilizado concomitantemente com produtos contendo DEET.

6.3Prazo de validade

Embalagem fechada: 3 anos.

Embalagem em uso: Qualquer produto não utilizado deve ser descartado 90 dias após a abertura inicial.

6.4Precauções especiais de conservação

Não conservar acima de 25 C.

Conservar na embalagem de origem para proteger da luz. Manter o recipiente bem fechado.

Após abertura inicial da bisnaga para aplicação, a tampa deve ser recolocada e apertada firmemente de modo a ficar hermeticamente fechada. As bisnagas de Panretin gel abertas não devem ser conservadas acima de 25ºC e devem estar protegidas contra a exposição à luz forte e ao calor elevado (por exemplo, luz solar directa).

6.5Natureza e conteúdo do recipiente

O Panretin gel é apresentado numa bisnaga de alumínio com revestimento de epóxi com 60 g para utilização múltipla.

Cada caixa contém uma bisnaga de gel.

6.6Precauções especiais de eliminação e manuseamento

Os produtos não utilizados ou os resíduos devem ser eliminados de acordo com as exigências locais.

O Panretin gel contém álcool, manter afastado de chamas vivas.

7.TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Eisai Ltd.

European Knowledge Centre

Mosquito Way

Hatfield

Hertfordshire

AL10 9SN

Reino Unido

8.NÚMERO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EU/1/00/149/001

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização: 11 de Outubro de 2000

Data da última renovação:

10.DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Informação pormenorizada sobre este medicamento está disponível na Internet no site da Agência Europeia de Medicamentos http://www.ema.europa.eu/

Comentários

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
  • Ajuda
  • Get it on Google Play
  • Acerca
  • Info on site by:

  • Presented by RXed.eu

  • 27558

    Medicamentos para prescrição listados