Portuguese
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Pedea (ibuprofen) – Resumo das características do medicamento - C01EB16

Updated on site: 09-Oct-2017

Nome do medicamentoPedea
Código ATCC01EB16
Substânciaibuprofen
FabricanteOrphan Europe S.A.R.L.

1.NOME DO MEDICAMENTO

Pedea 5 mg/ml solução injectável

2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada mililitro de solução contém 5 mg de ibuprofeno.

Cada ampola de 2 ml contém 10 mg de ibuprofeno.

Excipientes: cada mililitro contém 7,5 mg de sódio.

Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.FORMA FARMACÊUTICA

Solução injectável.

Solução límpida, incolor a ligeiramente amarelada.

4.INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1Indicações terapêuticas

No tratamento da persistência do canal arterial hemodinamicamente significativa em recém-nascidos pré-termo com idade gestacional inferior a 34 semanas.

4.2Posologia e modo de administração

O tratamento com Pedea deve apenas ser realizado numa unidade de cuidados intensivos neonatais sob supervisão de um neonatologista experiente.

Posologia

Cada ciclo terapêutico consiste em três injecções intravenosas de Pedea administradas com 24 horas de intervalo. A primeira injecção deve ser administrada após as primeiras 6 horas de vida.

A dose de ibuprofeno é ajustada ao peso corporal da seguinte forma:

-1a injecção: 10 mg/kg,

-2a e 3a injecções: 5 mg/kg.

Caso ocorra anúria ou manifesta oligúria após a primeira ou a segunda dose, deve suspender-se a dose seguinte até que o débito de urina retorne a níveis normais.

Caso o canal arterial não encerre nas 48 horas posteriores à última injecção ou se este vier a reabrir poderá ser iniciado um segundo ciclo terapêutico, com três doses, tal como acima indicado.

Se a condição permanecer inalterada após o segundo ciclo terapêutico, poderá ser necessário recorrer a cirurgia do canal arterial.

Modo de administração: Apenas para via intravenosa.

Pedea deve ser administrado na forma de uma curta perfusão, ao longo de 15 minutos, de preferência não diluído. Se necessário, o volume de injecção pode ser ajustado com solução injectável de cloreto de sódio 9 mg/ml (0,9%) ou com solução injectável de glicose 50 mg/ml (5%). Qualquer porção de solução não utilizada deve ser rejeitada.

O volume total de solução injectado deve ter em consideração o volume total diário de fluidos administrado.

4.3Contra-indicações

-Hipersensibilidade à substância activa ou a qualquer um dos excipientes

-Infecção potencialmente fatal;

-Hemorragia activa, especialmente intracraniana ou hemorragia gastrointestinal;

-Trombocitopenia ou anomalias da coagulação;

-Função renal seriamente comprometida;

-Doença cardíaca congénita na qual a persistência do canal arterial é necessária para a manutenção de um fluxo sanguíneo pulmonar ou sistémico satisfatório (por exemplo, atresia da pulmonar, formas graves de tetralogia de Fallot, coarctação grave da aorta);

-enterocolite necrosante conhecida ou suspeitada;

4.4Advertências e precauções especiais de utilização

Antes da administração de Pedea deve ser realizado um exame ecocardiográfico apropriado por forma a detectar uma persistência do canal arterial hemodinamicamente significativa e excluir a hipertensão pulmonar e a cardiopatia congénita para a qual a persistência do canal arterial apresente vantagens.

Uma vez que a su a utilização profiláctica nos primeiros 3 dias de vida (com início nas primeiras 6 horas após o nascimento) em recém-nascidos pré-termo, com idade gestacional inferior a 28semanas,

foi associada a um aumento nos episódios adversos pulmonares e renais, Pedea não deve ser utilizado profilacticamente em q ualquer idade g estacional (ver se cções 4 .8 e 5 .1). E m p articular, f oram relatados casos graves de hipoxemia com hipertensão pulmonar em 3 crianças na primeira hora após a primeira perfusão a qual foi revertida nos primeiros 30 minutos após o início da terapêutica com óxido

nítrico por inalação. Caso ocorra hipoxemia durante ou após a perfusão de Pedea,a pressão pulmonar deve ser vigiada de perto.

Uma vez que o ibuprofeno demonstrou deslocar in vitro a bilirrubina do seu local de ligação na albumina, o risco de encefalopatia por bilirrubina em recém-nascidos prematuros pode estar aumentado (ver secção 5.2). Deste modo, o ibuprofeno não deve ser utilizado em crianças com concentração de bilirubina marcadamente elevada .

Sendo um fármaco anti-inflamatório não esteróide (AINE), o ibuprofeno pode mascarar os sinais e sintomas habituais de uma infecção. Deste modo, Pedea deve ser utilizado com precaução na presença de uma infecção (ver também secção 4.3).

Pedea deve ser administrado de forma cuidadosa de modo a evitar o extravasamento e a potencialmente decorrente irritação dos tecidos.

Uma vez que o ibuprofeno pode inibir a agregação plaquetária, os recém-nascidos prematuros devem ser monitorizados relativamente a sinais de hemorragia.

Como o ibuprofeno pode diminuir a remoção dos aminoglicosídeos, recomenda-se um controlo rigoroso dos seus níveis séricos durante a co-administração com o ibuprofeno.

Tal como outros AINEs, recomenda-se uma monitorização cuidadosa tanto da função renal como gastrointestinal.

Em recém-nascidos pré-termo com idade gestacional inferior a 27 semanas, demonstrou-se que a taxa de encerramento do canal arterial (33 a 50%) era baixa com o regime de dosagem recomendado (ver secção 5.1).

Este medicamento contém menos do que 1 mmol de sódio (15 mg) por cada 2 ml, ou seja, é praticamente ‘isento de sódio’.

4.5Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

A utilização concomitante de Pedea com os seguintes medicamentos não é recomendada:

-diuréticos: o ibuprofeno pode reduzir o efeito dos diuréticos; os diuréticos podem aumentar o risco de nefrotoxicidade dos AINEs em doentes desidratados.

-anticoagulantes: o ibuprofeno pode aumentar o efeito dos anticoagulantes e pode aumentar o risco de hemorragia.

-corticosteróides: o ibuprofeno pode aumentar o risco de hemorragia gastrointestinal.

-óxido nítrico: uma vez que ambos os medicamentos inibem a função plaquetária, a sua conjugação pode, em teoria, aumentar o risco de ocorrência de hemorragias.

-outros AINEs: a utilização concomitante de mais de um AINE deve ser evitada devido ao risco aumentado de reacções adversas.

-aminoglicosídeos: uma vez que o ibuprofeno pode diminuir a remoção dos aminoglicosídeos, a sua co-administração pode aumentar o risco de nefrotoxicidade e ototoxicidade (ver secção 4.4)

4.6Gravidez e aleitamento

Não relevante

4.7Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Não relevante

4.8Efeitos indesejáveis

Estão presentemente disponíveis dados relativos a cerca de 1.000 recém-nascidos pré-termo tanto em publicações científicas com o ibuprofeno como em ensaios clínicos com Pedea. A relação de causalidade dos episódios adversos relatados em recém-nascidos pré-termo é difícil de avaliar uma vez que estes podem estar relacionados com as consequências hemodinâmicas da persistência do canal arterial ou com os efeitos directos do ibuprofeno.

As reacções adversas notificadas encontram-se listadas abaixo, por classes de sistemas de órgãos e por frequência. As frequências são definidas como: muito frequentes (≥1/10), frequentes (≥1/100, <1/10) e pouco frequentes (≥1/1.000, <1/100).

As reacções adversas são apresentadas por ordem decrescente de gravidade dentro de cada classe de frequência.

Doenças do sangue e do sistema linfático

Muito frequentes: Trombocitopenia, Neutropenia

Doenças do sistema nervoso

Frequentes: Hemorragia intraventricular,

 

Leucomalácia periventricular

Doenças respiratórias, torácicas e do

Muito frequentes: Displasia broncopulmonar*

mediastino

Frequentes: Hemorragia pulmonar

 

Pouco frequentes: Hipoxemia*

Doenças gastrointestinais

Frequentes: Enterocolite necrosante, Perfuração

 

intestinal

 

Pouco frequentes: Hemorragia gastrointestinal

Doenças renais e urinárias

Frequentes: Oligúria, Retenção de fluidos, Hematúria

 

Pouco frequentes: Insuficiência renal aguda

Exames complementares de diagnóstico

Muito frequentes: Creatinina sérica aumentada, Sódio

 

sérico diminuído

*ver abaixo

 

 

 

Num ensaio clínico de tratamento envolvendo 175 recém-nascidos pré-termo com idade gestacional inferior a 35 semanas, a incidência de displasia broncopulmonar às 36 semanas de idade pós-concepcional era de 13/81 (16%) para a indometacina e de 23/94 (24%) para o ibuprofeno.

Num ensaio clínico em que Pedea foi administrado profilacticamente durante as primeiras 6 horas de vida, foram relatados casos graves de hipoxemia com hipertensão pulmonar em 3 recém-nascidos com idade gestacional inferior a 28 semanas. Esta situação ocorreu na primeira hora após a primeira perfusão e foi revertida nos primeiros 30 minutos após a inalação de óxido nítrico. Ocorreram também comunicações pós-comercialização de hipertensão pulmonar quando Pedea foi administrado a recém- nascidos prematuros em ambiente terapêutico.

4.9Sobredosagem

Não foram observados casos de sobredosagem com o ibuprofeno intravenoso em recém-nascidos pré- termo.

No entanto, foi relatada a sobredosagem em bebés e crianças aos quais foram administrados o ibuprofeno oral: foram observados casos de depressão do SNC, convulsões, perturbações gastrointestinais, bradicardia, hipotensão, apneia, anomalias da função renal e hematúria. Sobredosagens massivas (até mais de 1000 mg/kg) foram relatadas como tendo induzido coma, acidose metabólica, e falência renal transitória. Todos os doentes recuperaram com tratamento convencional. Foi publicado apenas o registo de uma morte: após uma sobredosagem de 469 mg/kg, uma criança com 16 meses de idade desenvolveu um episódio apneico com convulsões e pneumonia de aspiração fatal.

A gestão de uma sobredosagem com o ibuprofeno incide sobretudo nos cuidados de apoio.

5.PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: outros agentes cardíacos, código ATC: C01 EB16

O ibuprofeno é um AINE que possui actividade anti-inflamatória, analgésica e antipirética. O ibuprofeno é uma mistura racémica dos enantiómeros S(+) e R (-). Estudos in vivo e in vitro indicam que o isómero S(+) é o responsável pela actividade clínica. O ibuprofeno é um inibidor não-selectivo da ciclo-oxigenase, conduzindo a uma redução na síntese das prostaglandinas.

Uma vez que as prostaglandinas estão envolvidas na persistência do canal arterial após o nascimento, crê-se que este efeito represente o principal modo de acção do ibuprofeno nesta indicação.

Num estudo dose-resposta de Pedea em 40 recém-nascidos pré-termo, a taxa de encerramento do canal arterial associada ao regime de dosagem de 10-5-5 mg/kg era de 75% (6/8) em recém-nascidos com 27-29 semanas de gestação e de 33% (2/6) em recém-nascidos com 24-26 semanas de gestação.

A utilização profiláctica de Pedea nos primeiros 3 dias de vida (com início nas primeiras 6 horas após o nascimento) em recém-nascidos pré-termo com idade gestacional inferior a 28 semanas foi associada a um aumento na incidência de falência renal e a episódios adversos pulmonares incluindo hipóxia, hipertensão pulmonar e hemorragia pulmonar, em comparação com uma utilização terapêutica. Por outro lado, a utilização profiláctica de Pedea foi associada a uma mais baixa incidência de hemorragia intraventricular neonatal de grau III-IV e de ligação cirúrgica.

5.2Propriedades farmacocinéticas

Distribuição

Apesar de se observar uma grande variabilidade na população prematura, são medidas concentrações plasmáticas de pico de cerca de 35-40 mg/l após uma dose inicial de 10 mg/kg bem como após a última dose de manutenção, independentemente da idade gestacional ou pós-natal. As concentrações residuais são na ordem de 10-15 mg/l 24 horas após a última dose de 5 mg/kg.

As concentrações plasmáticas do enantiómero-S são muito mais elevadas que as do enantiómero-R reflectindo uma rápida inversão quiral da forma R- para a S numa proporção semelhante à dos adultos (aproximadamente 60%).

O volume de distribuição aparente é, em média, de 200 ml/kg (62 a 350 de acordo com vários estudos). O volume de distribuição central pode depender do estado do canal arterial e pode diminuir à medida que o canal se fecha.

Estudos in vitro sugerem que, da mesma forma que outros AINEs, o ibuprofeno se encontra-se extensamente ligado à albumina plasmática, apesar de esta ligação parecer ser significativamente inferior (95 %) à observada no plasma de adultos (99 %). O ibuprofeno compete com a bilirrubina para a ligação à albumina sérica em recém-nascidos podendo, deste modo, a fracção livre de bilirrubina estar aumentada para concentrações elevadas de ibuprofeno.

Eliminação

A taxa de eliminação é significativamente inferior à das crianças mais velhas e à dos adultos, com uma semi-vida de eliminação estimada de aproximadamente 30 horas (16-43). A depuração de ambos os enantiómeros aumenta com a idade gestacional, pelo menos no intervalo das 24 às 28 semanas.

Relação farmacocinética- farmacodinâmica

Em recém-nascidos pré-termo o ibuprofeno reduz significativamente as concentrações plasmáticas das prostaglandinas e dos seus metabolitos, particularmente da PGE2 e da 6-ceto-PGF-1-alfa. Os níveis demonstraram permanecer baixos durante até 72 horas em recém-nascidos a receber 3 doses de ibuprofeno, enquanto que se observaram aumentos subsequentes 72 horas após uma dose única de ibuprofeno.

5.3Dados de segurança pré-clínica

Não existem quaisquer dados pré-clínicos considerados relevantes para a segurança clínica para além dos dados incluídos em outras secções deste Resumo das Características do Medicamento. Com a excepção de um estudo de toxicidade aguda, não foi realizado qualquer estudo adicional em animais juvenis com Pedea.

6.INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1Lista dos excipientes

Trometamol, cloreto de sódio,

hidróxido de sódio (para ajuste de pH), ácido clorídrico 25% (para ajuste de pH), água para injectáveis.

6.2Incompatibilidades

Este medicamento não deve ser misturado com outros medicamentos, excepto os mencionados na secção 6.6.

A solução de Pedea não deve entrar em contato com soluções ácidas tais como alguns antibióticos ou diuréticos. Deve ser realizada uma lavagem do tubo de perfusão entre cada administração do produto (ver secção 6.6).

6.3Prazo de validade

4 anos.

Para evitar qualquer possível contaminação microbiológica, o produto deve ser utilizado imediatamente após a primeira abertura.

6.4Precauções especiais de conservação

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

6.5Natureza e conteúdo do recipiente

2 ml de solução numa ampola de vidro incolor tipo 1. Pedea é distribuído em embalagens de 4 ampolas de 2 ml.

6.6Precauções especiais de eliminação e manuseamento

Tal como todos os produtos parentéricos, as ampolas de Pedea devem ser visualmente inspeccionadas quanto à existência de partículas visíveis e integridade do recipiente antes da sua utilização. As ampolas destinam-se apenas a uma única utilização, qualquer porção não utilizada deve ser rejeitada.

A zona de quebra da ampola não pode ser desinfectada com cloro-hexidina uma vez que esta não é compatível com a solução de Pedea. Desta forma, para assegurar a assepsia da ampola antes da sua utilização recomenda-se a utilização de álcool etílico 60% ou isopropílico 70%.

Ao desinfectar a zona de quebra da ampola com um anti-séptico, por forma a evitar qualquer interacção com a solução de Pedea, deve assegurar-se de que a ampola está completamente seca antes de abrir.

O volume requerido para ser administrado a uma criança deve ser determinado de acordo com o peso corporal, e deve ser injectado por via intravenosa através de uma curta perfusão, ao longo de

15 minutos, de preferência não diluído.

Utilizar apenas solução injectável de cloreto de sódio 9 mg/ml (0,9%) ou solução de glicose 50 mg/ml (5%) para ajustar o volume de injecção.

O volume total de solução injectado em recém-nascidos pré-termo deve levar em consideração o volume total diário de fluidos administrado. Deve normalmente ser respeitado um volume máximo de 80 ml/kg/dia no primeiro dia de vida; este valor deve ser progressivamente aumentado nas 1-2 semanas seguintes (cerca de 20 ml/kg peso-de-nascimento/dia) até um volume máximo de 180 ml/kg peso-de-nascimento/dia.

Antes e depois da administração de Pedea, para evitar o contato com qualquer solução ácida, deve-se efectuar uma lavagem do tubo de perfusão durante 15 minutos com 1,5 a 2 ml de solução injectável de cloreto de sódio 9 mg/ml (0.9%) ou de glicose 50 mg/ml (5%).

Após a primeira abertura de uma ampola, qualquer porção não utilizada deve ser rejeitada.

Os produtos não utilizados ou os resíduos devem ser eliminados de acordo com as exigências locais.

7.TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Orphan Europe SARL

Immeuble “Le Wilson”

70, avenue du Général de Gaulle F-92800 Puteaux

França

8.NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EU/1/04/284/001

9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização de introdução no mercado: 29 de Julho de 2004 Data de última renovação: 29 de Julho de 2009

10.DATA DA REVISÃO DO TEXTO

Informação pormenorizada sobre este medicamento está disponível na Internet no site da Agência Europeia de Medicamentos (EMEA) http://www.emea.europa.eu/.

Comentários

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
  • Ajuda
  • Get it on Google Play
  • Acerca
  • Info on site by:

  • Presented by RXed.eu

  • 27558

    Medicamentos para prescrição listados